Presidente da Open Fiber diz que empresa está bem posicionada para comprar rede da Telecom Italia

Presidente da Open Fiber diz que empresa está bem posicionada para comprar rede da Telecom Italia

GERAL -   


MILÃO (Reuters) - A Open Fiber, nova empresa italiana de redes de telecomunicações, está em boa posição para comprar a rede da Telecom Italia, afirmou a empresa nesta segunda-feira, aumentando o crescente debate sobre se o antigo monopólio de telefonia deveria vender seu bem mais valorizado.

Políticos italianos, desde 2006, têm ido e vindo com pedidos para que a rede seja transferida para uma entidade controlada pelo Estado, já que Roma a considera um ativo estratégico que deveria ser uma plataforma neutra aberta a todas as empresas de telefonia.

A Telecom Italia também foi criticada por adiar as onerosas atualizações de sua rede de cobre, que está envelhecendo, para fornecer conexões de internet mais rápidas e agora está enfrentando a concorrência da Open Fiber, que é de propriedade da empresa estatal Enel e do banco estatal Cassa Depositi e Prestiti (CDP ).

A Telecom Italia e a Open Fiber, que foi fundada no final de 2015, estão construindo redes de internet rápidas concorrentes em toda a Itália, embora muitos especialistas do setor digam que uma duplicação tão onerosa faz pouco sentido em termos econômicos.

"A Open Fiber, ou seus acionistas, estaria bem colocada para comprar a rede da Telecom, pois poderia aproveitar ao máximo a sinergia entre as duas redes e acelerar a migração do cobre para fibra", disse o presidente da Open Fiber, Franco Bassanini, em uma entrevista ao jornal La Stampa.

O plano para transferir a rede da Telecom Italia, que de acordo com algumas estimativas poderia valer até 15 bilhões de euros (17,7 bilhões de dólares), fracassou no passado em relação a seu preço e porque empresa insistiu em manter o negócio.

No entanto, a ideia está ganhando força mais uma vez com o objetivo de promover a cooperação para permitir uma rápida implantação de uma rede de banda larga ultrarrápida em toda a Itália.

(Por Valentina Za e Stefano Rebaudo; reportagem adicional por Paul Sandle e Eric Auchard)