Equipes retomam buscas por desaparecidos do naufrágio na Bahia

Equipes retomam buscas por desaparecidos do naufrágio na Bahia

GERAL -   


Em Salvador, as equipes voltaram a fazer buscas por desaparecidos no naufrágio que matou pelo menos 18 pessoas. A travessia de barco da ilha de Itaparica para Salvador vai ser liberada na segunda-feira (28) apesar de um alerta do Ministério Público sobre a insegurança no transporte de passageiros.

Equipes fazem buscas em um raio de 10 quilômetros do local do acidente. Na última quinta-feira (24), a embarcação virou dez minutos depois de partir da Ilha de Itaparica em direção a Salvador .

A equipe do Jornal Nacional chegou até a lancha e encontrou um buraco aberto no casco, cobertura arrancada e diversos coletes salva-vidas amarrados. Essa foi uma das principais reclamações de sobreviventes, que disseram não ter conseguido desatar os nós: "Na hora do pânico, algumas pessoas conseguiram, algumas pessoas não conseguiram. Eu mesma não consegui."

A polícia disse, neste sábado (26), que, oficialmente, duas pessoas estão desaparecidas: um idoso e um adolescente. Chegou a essa informação a partir do depoimento das famílias, que afirmaram que os dois embarcaram na Cavalo Marinho 1 e não apareceram mais.

A polícia vai investigar uma possível omissão de socorro. Sobreviventes contaram que pediram ajuda a pelo menos duas embarcações. “Efetuei vários disparos no intuito de chamar atenção. Não sei se não viram. Não sei o que aconteceu, mas não foram não", conta Valdemar Alves Silva, policial militar.

O Ministério Público entrou com uma ação civil há três anos pedindo melhorias nas lanchas. A ação ainda não foi julgada. Agora, o MP vai cobrar também mais cuidado com os coletes salva-vidas.

"Nós vamos a partir de agora iniciarmos mais uma força tarefa no sentido de verificarmos se as demais embarcações possuem esses equipamentos, se eles estão de fato adequados", destaca Joseane Suzart, promotora de justiça.