Na Bahia, protesto de moradores impede travessia Itaparica-Salvador

Na Bahia, protesto de moradores impede travessia Itaparica-Salvador

GERAL -   


Um protesto impediu, nesta segunda-feira (28), a travessia de lanchas entre Itaparica e Salvador. Subiu para 19 o número de mortos nesse trajeto, no naufrágio da semana passada.

As lanchas da travessia estavam autorizadas a navegar, mas os moradores do município de Vera Cruz amanheceram em frente ao terminal e não permitiram a saída das embarcações.

“A gente está aqui para reivindicar segurança na travessia”, disse uma manifestante.

O corpo da 19ª vítima, o eletricista Salvador Souza Santos, de 68 anos, foi encontrado no domingo (27), em uma praia a 7 km do local do naufrágio. Uma adolescente ainda está desaparecida.

A embarcação virou dez minutos depois de sair da Ilha de Itaparica em direção a Salvador. A Cavalo Marinho 1 estava sendo comandada naquela quinta-feira (24) pelo Osvaldo Barreto, 52 anos, 21 de profissão, dez anos de experiência no comando de embarcações. Ele já prestou depoimento à polícia e vai agora dar a primeira entrevista para contar o que aconteceu. Ele nos pediu que fosse ao lado do irmão.

Repórter: Como é que estava o tempo? Como é que estava o mar naquela quinta feira?

Osvaldo Barreto: Dava para viajar tranquilo quando nós saímos para fazer a viagem. Ao sair do ali ao farol, mar grande, começou a chover muito. Fechou tudo, o tempo fechou. E chovia muito, chovia muito, ventou muito. Começou a molhar um pouco por cima de uma fresta da lona. Então, os passageiros passaram um pouco para o lado de bombordo. Eu creio que isso, bateu uma onda mais forte e a lancha aí saiu de lado. Eu não pude pedir socorro à Capitania pelo rádio, porque o rádio estava na água, VHF na água, sem bateria. Então, eu subi no teto da lancha, da embarcação e fiquei acenando com a mão, mas estava chovendo, a visibilidade era pouca. Lamento pela vida de quem foi. Infelizmente. Tentei, salvei muitas vidas, sei que salvei, eu e meus colegas salvamos, mas, infelizmente, não pudemos salvar todos.