Pyongyang confirma lançamento de míssil que sobrevoou Japão

Pyongyang confirma lançamento de míssil que sobrevoou Japão

GERAL -   

(Atualiza com mais detalhes).

Seul, 30 ago (EFE).- A Coreia do Norte confirmou nesta quarta-feira (data local) o lançamento, supervisionado pelo líder do regime, Kim Jong-un, de um míssil balístico de médio alcance Hwasong-12 em resposta às manobras que Coreia do Sul e Estados Unidos estão realizando na península.

O lançamento foi uma "advertência significativa e crucial" para a Coreia do Sul e Estados Unidos e "aconteceu como demonstração de força para resistir aos exercícios militares conjuntos 'Ulchi Freedom Guardian'" que ambos países realizam desde a semana passada em território sul-coreano, informou a agência norte-coreana "KCNA".

A Coreia do Norte lançou ontem um míssil da zona ocidental do seu território que sobrevoou o norte de Japão e percorreu mais de 2.700 quilômetros antes de cair no mar, a cerca de 1.180 quilômetros do Cabo de Erimo, no extremo do nordeste do arquipélago nipônico.

O lançamento foi realizado pela primeira vez da capital norte-coreana, Pyongyang, "por ordem de Kim Jong-un", que supervisionou os preparativos do teste e expressou sua "grande satisfação pelo exitoso lançamento", detalhou a "KCNA".

O míssil "impactou com precisão as águas que eram o alvo estabelecido" e "não teve nenhum impacto na segurança dos países vizinhos", acrescentou a agência oficial norte-coreana.

"No exercício ficou demonstrada a capacidade operativa das unidades de artilharia Hwasong da Força Estratégica do Exército Popular da Coréia do Norte - destinadas a atacar as bases dos EUA no Pacífico - para uma guerra real e a eficiência de combate do recém equipado míssil de médio alcance", completou a "KCNA".

O líder norte-coreano felicitou os artilheiros pelo seu trabalho e destacou a necessidade de modernizar a sua força estratégica realizando mais testes de mísseis com o Pacífico como alvo no futuro.

Esse foi o 13º lançamento bem sucedido de um míssil balístico por parte da Coreia do Norte neste ano e aconteceu depois que o país lançou no sábado passado três projéteis de curto alcance às águas do mar de Japão.

O último teste valeu ao país a condenação da comunidade internacional e do Conselho de Segurança da ONU, que qualificou as ações de Pyongyang como "indignantes" e insistiu em exigir a "cessação imediata" dos seus lançamentos de mísseis.

Com o seu último teste, no qual pela primeira vez desde 2009 um míssil norte-coreano sobrevoou território nipônico - sem incluir pequenas ilhas ao sudoeste do arquipélago -, Pyongyang quis demonstrar sua capacidade para alcançar o entorno da ilha de Guam, a mesma que ameaçou bombardear em sua recente escalada de tensão com Washington.