Profissão Repórter visita o cenário dos naufrágios na Bahia e no Pará

Profissão Repórter visita o cenário dos naufrágios na Bahia e no Pará

GERAL -   


O Profissão Repórter desta quarta-feira (6) visita o cenário dos naufrágios que vitimaram 42 pessoas no Pará e na Bahia. As impressionantes histórias de sobreviventes e a negligência das autoridades são os destaques do programa.

Na ilha de Itaparica, a repórter Monique Evelle registra o protesto de familiares de vítimas que tenta impedir a saída de novos barcos em direção a Salvador. Ela também acompanha o emocionante reencontro da estudante de história Eduarda Radmila com o jovem que salvou sua vida.

PREP naufrágio (Foto: TV Globo)

É na Bahia também que Caco Barcellos encontra histórias como a do cego que conseguiu se salvar do naufrágio. Caco recolheu relatos e imagens de moradores locais que detalham a precariedade da embarcação, a falta de fiscalização e a demora no resgate. O Ministério Público local já havia proposto ações contra a empresa responsável. A Marinha afirma que o barco que naufragou estava totalmente regular.

No rio Xingu, o repórter Estevan Muniz investiga uma situação semelhante: falta de fiscalização nos terminais hidroviários. Para a Marinha, uma presença mais frequente nos portos das cidades paraenses só seria possível com mais investimento. Mas é justamente a presença mais frequente de fiscalização que poderia ter evitado irregularidades como a falta de tripulantes e o transporte irregular de cargas no barco que naufragou. Até um carro estava sendo levado na tragédia que abalou a cidade de Porto de Moz.

PREP naufrágio (Foto: TV Globo)