Conab projeta safra menor de café no Brasil em 2017 com queda na produção de arábica

Conab projeta safra menor de café no Brasil em 2017 com queda na produção de arábica

GERAL -   


Por José Roberto Gomes

SÃO PAULO (Reuters) - A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) cortou sua projeção para a safra de café do Brasil em 2017 e estima agora uma queda de 12,8 por cento ante 2016, em razão da perspectiva de menor colheita de arábica, cujo ciclo é de bienalidade negativa.

Em seu terceiro levantamento sobre a cultura, a Conab prevê que o país produzirá neste ano 44,77 milhões de sacas de café arábica e conilon (robusta), contra 51,37 milhões no ano passado e 45,6 milhões na estimativa de maio.

Tal redução reflete, principalmente, a menor safra de arábica, que deve totalizar 34,07 milhões de sacas, aquém das 35,4 milhões consideradas em maio e 21,5 por cento inferior na comparação com as 43,38 milhões de 2016.

Procurada pela Reuters, a Conab não comentou imediatamente os fundamentos por trás dessa revisão.

Em seu levantamento, porém, a estatal destacou que "em Minas Gerais, maior Estado produtor dessa espécie, o resultado...sinaliza uma redução da produção cafeeira...na ordem de 21 por cento, pautada, principalmente, na bienalidade negativa das maiores regiões produtoras...A produção deve totalizar 24,04 milhões de sacas".

Em contrapartida, a safra de conilon deve se recuperar da seca do ano passado em áreas produtoras do Espírito Santo e alcançar 10,7 milhões de sacas, frente a 10,1 milhões de sacas projetadas em maio e 7,98 milhões de sacas um ano atrás.

O levantamento da Conab foi realizado em agosto-- antes, portanto, da forte estiagem deste mês, que fez o setor ver diminuídas as chances de uma "supersafra" em 2018.

ÁREA

A Conab estima que área total com café neste ano fique em 2,2 milhões de hectares, praticamente estável ante a área de 2016.

A maior parte é formada por lavouras de arábica, com 1,78 milhão de hectares. O robusta ocupa 426,9 mil hectares.