Espanha envia mais policiais para impedir referendo na Catalunha

Espanha envia mais policiais para impedir referendo na Catalunha

GERAL -   


MADRI (Reuters) - A Espanha vai enviar mais agentes da polícia à Catalunha, para evitar qualquer movimento para realizar um proibido referendo de independência, informou o Ministério do Interior, nesta sexta-feira.

Os novos policiais irão monitorar espaços públicos, manter a ordem e "agir caso o referendo ilegal seja mantido", disse o ministério em comunicado.

O governo regional da Catalunha disse que as novas medidas, incluindo um corte no tempo livre dos policiais, são exageradas e têm como objetivo criar uma falsa impressão de crise. "Tudo que você precisa são olhos na sua cabeça para ver que não há violência", disse o porta-voz, Jordi Turull.

Líderes catalães disseram estar determinados a realizar a votação no dia 1º de outubro, desafiando uma proibição da Corte Constitucional e o governo central de Madri, que diz que um plebiscito seria inconstitucional.

A polícia estatal que já estava na região conduziu operações sem precedentes em escritórios do governo regional, gráficas, jornais e empresas de entrega, buscando por material de campanha na quarta-feira.