Na China, e-Sports tem centro de treinamentos

Na China, e-Sports tem centro de treinamentos

GERAL -   

Xangai, 28 Set 2017 (AFP) - Café, bebidas energéticas ao alcance da mão e concentração máxima: em uma sala escura de Xangai, atletas de esportes eletrônicos (e-Sports) treinam até 16 horas por dia antes da disputa de torneio que distribui mais de 700.000 euros em prêmios.

O time profissional de Taiwan "Flash Wolves", um dos melhores do mundo, se prepara para o Mundial de "League os Legends" (LoL). O jogo de combate e estratégia com personagens mágicos é muito popular e a final vai ser realizada em Pequim, no início de novembro.

O ambicioso "centro de treinamento" dos jovens, que têm entre 18 e 22 anos, é reflexo do que está em jogo a nível econômico, por conta do extraordinário momento dos e-Sports. As competições de jogos virtuais sonham integrar as Olimpíadas no futuro.

Cada atleta dos Flash Wolves pode ganhar até 60.000 euros por ano. O valor é ainda maior em caso de conquistas em uma competição importante.

"As pessoas imaginam que nosso trabalho consiste unicamente em jogar videogame. Mas não é tão simples", indicou Yu Li-hong, membro do time que tem o apelido de "MMD".

"Quando é seu trabalho, sua mentalidade jogando é totalmente diferente. É preciso ser serio e prestar atenção em tudo", explicou o jovem de 22 anos.

Os melhores jogadores do mundo são verdadeiras estrelas. Os grandes torneios podem reunir milhares de torcedores nos estádios e ainda mais público na internet.

- Vida 'cruel' -"League of Legends" é um dos jogos mais populares de e-Sports.

A final do mundial de "LoL" está marcada para o dia 4 de novembro, no estádio Olímpico de Pequim. O famoso Ninho de Pássaros das Olimpíadas de 2008 tem capacidade para 80.000 espectadores. Quem levar a competição vai embolsar mais de 720.000 euros.

Na espera do campeonato, os Flash Wolves treinam em Xangai contra os times locais. São quase 16 horas de treino por dia, sete dias por semana.

Dezenas de latas de bebidas energéticas são armazenadas no centro de treinamento, ao lado de copos de café vazios, que se amontoam nas mesas. Alguns atletas tomam comprimidos de vitamina C.

Nestes treinos, os jogadores buscam adquirir reflexos e otimizar o conhecimento do jogo. Mas os reflexos do ser humano começam a diminuir de intensidade a partir dos 25 anos, o que obriga a aposentadoria precoce de alguns jogadores, como explicou "4Leaf", chefe do grupo.

Segundo 4Leaf, a vida de um jogador "é muito cruel", porque se as atuações são ruins durante um mês o atleta é afastado para dar lugar a um substituto. Como um atleta de alto nível.

- 'Pouco exercício físico' -MMD deixou a universidade aos 19 anos, após iniciar os estudos na faculdade de turismo.

"No início, minha família reclamava todas as vezes que eu ficava diante do meu computador", afirmou.

"Queriam que eu estudasse para obter o melhor diploma possível. Mas agora me apoiam, já que é algo que eu gosto e não faz mal, como a droga", acrescentou.

Assim como MMD, seu companheiro "SwordArt" tem a voz doce. Mas quando se arma com um mouse de computador, é um verdadeiro assassino.

O jogador de 20 anos, cujo verdadeiro nome é Hu Shuo-chieh, se mantém em forma graças ao complementos alimentares, como azeite de fígado de bacalhau. O atleta não parece muito preocupado com as consequências de ficar fechado no mesmo quarto durante muitas horas.

"Para este trabalho, passo a maior parte do meu tempo diante da tela. É difícil para a vista. Faço pouco exercício físico", revelou Hu, um dos poucos do centro de treinamento que não usa óculos.

"Por enquanto, ainda não teve impacto (sobre meu corpo). Talvez porque ainda seja jovem", concluiu.

pst-azk/psr/fa