Israel diz que renúncia de Hariri é "chamada de atenção" para ações do Irã

Israel diz que renúncia de Hariri é "chamada de atenção" para ações do Irã

GERAL -   

Jerusalém, 4 nov (EFE).- Israel considera a renúncia do primeiro-ministro do Líbano, Saad Hariri, que justificou a saída do cargo por temer por sua vida, como uma "chamada de atenção" para as ações do Irã, acusado de ingerir na política libanesa.

"A renúncia do primeiro-ministro libanês e seus comentários são uma chamada de atenção para a comunidade internacional atuar contra a agressão iraniana, que tenta transformar a Síria em um segundo Líbano", disse o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu.

"Essa agressão põe em risco não só Isael, mas todo o Oriente Médio. A comunidade internacional precisa se unir para enfrentar esse ataque", ressaltou Netanyahu, que vê o Irã como uma "ameaça existencial" e que reiterou, em várias ocasiões, que não permitirá que Teerã se estabeleça na vizinha Síria.

Hariri anunciou a renúncia na Arábia Saudita em um discurso transmitido pela emissora "Al Arabiya". O ex-premiê libanês denunciou um complô para assassiná-lo e acusou o Irã por ingerir na política do país, onde apadrinha o grupo xiita Hezbollah.

Essa mesma emissora disse posteriormente que as forças de segurança do Líbano frustraram há poucos dias um atentado contra o agora ex-primeiro-ministro.

O Irã negou as acusações e disse que a renúncia de Hariri é parte de um plano para desestabilizar o Oriente Médio.