Ministro escocês admite 'comportamento inapropriado' e renuncia

Ministro escocês admite 'comportamento inapropriado' e renuncia

GERAL -   

Londres, 4 Nov 2017 (AFP) - O ministro escocês da Infância, Mark McDonald, entregou o cargo neste sábado (4), admitindo um "comportamento inapropriado", o mais recente caso em meio a um escândalo de assédio sexual.

McDonald se desculpou "sem reservas diante de qualquer pessoa a quem tenha incomodado, ou que possa ter considerado meu comportamento inapropriado", sem dar detalhes.

Um porta-voz do governo confirmou que McDonald apresentou seu pedido de demissão à primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, neste sábado.

Outros escândalos de assédio e de abuso sexual revelados recentemente levaram à saída, na quarta-feira, do ministro britânico da Defesa, Michael Fallon.

Em um comunicado, McDonald afirmou: "Algumas das minhas ações anteriores foram consideradas inapropriadas, quando eu achava que estava sendo apenas gentil, ou tentando ser amável. Meu comportamento pode ter feito os demais se sentirem desconfortáveis, ou questionarem minhas intenções".

O ministro afirmou que seu comportamento era "completamente responsabilidade sua". Também disse esperar que, com sua renúncia, "nenhuma mulher, nem minha família, sejam objeto de qualquer indagação indevida e injustificada".

Espera-se que continue ocupando sua cadeira de deputado no Parlamento escocês, representando o Partido Nacional da Escócia, de Sturgeon, em Aberdeen.

Outros dois ministros estão sendo investigados no Reino Unido, enquanto o comportamento de alguns membros do Partido Trabalhista britânico também estão sendo investigados.

A porta-voz dos trabalhistas para Relações Exteriores, Emily Thornberry, declarou à BBC: "algumas das coisas que ouvi esta semana são tão asquerosas que me envergonha que isso tenha podido acontecer no Partido Trabalhista".