Empresas correm para fazer IPOs de R$ 14,2 bi antes das eleições

Empresas correm para fazer IPOs de R$ 14,2 bi antes das eleições

GERAL -   


(Bloomberg) -- Empresas tentam finalizar ofertas públicas iniciais de ações ainda neste ano antes que a corrida presidencial de 2018 afugente os investidores. O apetite dos investidores continua grande nas vésperas do último mês de 2017.

A unidade da Petrobras, BR Distribuidora, o operador local do Burger King e a empresa de energia Neoenergia estão entre as que pretendem fazer ofertas públicas de ações. Se essas ofertas forem concluídas pelo preço médio da faixa indicativa, o Brasil poderá somar mais de R$ 25 bilhões em IPOs neste ano -- maior volume desde 2007, quando atingiu o recorde histórico de R$ 52,6 bilhões --, segundo dados compilados pela Bloomberg.

"Obviamente, ano que vem é um ano complicado, tem eleições no México, Brasil, Colômbia, e períodos eleitorais sempre trazem mais incerteza", disse Roberto Serwaczak, responsável pela área de equities para América Latina do Citigroup, em entrevista.

"As pessoas estão procurando antecipar as transações; quanto mais cedo, melhor", disse.

A BR Distribuidora e Neoenergia querem captar até R$ 7,5 bilhões e R$ 4,2 bilhões, respectivamente, segundo os prospectos das ofertas; o Burger King pode levantar até R$ 2,5 bilhões.

A fase de bonança dos IPOs pode continuar no início do ano que vem, com ofertas como da empresa farmacêtica Blau, do Banco Inter, da varejista de artigos esportivos Centauro e da Algar Telecom. A varejista de brinquedos Ri Happy, controlada pelo Carlyle Group, também teria interesse em fazer uma oferta pública de ações em 2018, segundo notícias publicadas na mídia.