Airbus pagará R$ 30 mi de indenização por acidente da TAM

Airbus pagará R$ 30 mi de indenização por acidente da TAM

GERAL -   

Rio de Janeiro, 11 dez 2017 (AFP) - A fabricante aeronáutica europeia Airbus vai indenizar em mais de 30 milhões de reais uma parte das famílias das 199 vítimas do acidente da TAM em 2007, em São Paulo, indicou nesta segunda-feira (11) uma advogada que representa alguns autores da ação.

As indenizações vão beneficiar 93 pessoas de 33 famílias, disse à AFP a advogada Gabriela Ristow.

"Depois de anos, as famílias aceitaram os termos do acordo com a Airbus", afirmou.

O acordo, assinado em novembro sem divulgação pública, foi homologado por uma juíza do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, acrescentou.

"Nenhum valor compensa o dano que essas famílias sofreram, mas acho que foi uma vitória para todas as famílias, foi uma indenização que vai muito além dos padrões da Justiça brasileira para esses tipos de caso", destacou.

A advogada não deu detalhes sobre o valor que cada uma das 93 pessoas indenizadas receberá, mas disse que, no conjunto, a Airbus se comprometeu a pagar, "no curto prazo", mais de 30 milhões de reais.

A Airbus confirmou ter chegado a "acordos", mas descartou que a tragédia tenha acontecido por falhas da aeronave, além de se recusar a especificar valores.

"A Airbus confirma que chegou a acordos com familiares das vítimas, mas destacada que o acidente do voo JJ3054 não aconteceu devido a falha ou defeito de nenhum tipo relacionais ao avião", disse uma nota de empresa enviada à AFP.

Os acordos "não supõem, de modo algum, um reconhecimento de falhas" por parte da Airbus, ressalta o comunicado. "A Airbus não vai comentar detalhes dos acordos, que estão relacionados com a privacidade das famílias das vítimas".

O acidente aéreo da TAM, hoje Latam, aconteceu em 17 de julho de 2007, durante a aterrissagem no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, de um Airbus A320, que tinha saído de Porto Alegre (sul).

Os pilotos não conseguiram controlar a aeronave, que saiu da pista, cruzou a avenida e bateu contra um hangar da própria TAM.

Após a explosão, bombeiros levaram horas para apagar as chamas. O prédio caiu e as 12 pessoas que estavam lá dentro morreram, além das 187 a bordo do avião.

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos concluiu em 2009 que fatores humanos e técnicos causaram o acidente.

Contudo, após anos de investigação, ninguém foi condenado.

Em julho passado, foram realizadas várias homenagens às vítimas em São Paulo para comemorar o décimo aniversário da tragédia, que é considerada o maior acidente da aviação comercial brasileira.