Adolescentes e treinador presos em caverna seguem acompanhados por soldados

Adolescentes e treinador presos em caverna seguem acompanhados por soldados

GERAL -   

(Atualiza com declarações de especialista).

Mae Sai (Tailândia), 4 jul (EFE).- Um grupo de dez soldados, liderados por um médico militar, acompanha os 12 adolescentes e ao treinador que estão há 11 dias presos em uma caverna parcialmente inundada, no norte da Tailândia, informaram nesta quarta-feira as fontes oficiais.

"Temos 13 pessoas frágeis que precisam mergulhar, escalar, mergulhar e voltar a caminhar. Todos estão bem de saúde, mas necessitam alguns dias para recuperar as forças", disse à Agência Efe, o alemão Torsten Lechler, assessor técnico nas operações.

Lechler, mergulhador com 40 anos de experiência e radicado em Phuket, afirmou que contam com máscaras especiais para os jovens que cobrem toda o rosto e permitem a comunicação direta debaixo d'água.

"Mergulhar é a única saída. É preciso tentar antes da chegada das chuvas, depois será mais complicado", afirmou.

Um novo vídeo divulgado pela Marinha tailandesa mostra os meninos dentro da caverna agasalhados com cobertores térmicos, acenando e até rindo.

Ruetaiwan Patisen, porta-voz das equipes de resgate, afirmou à Efe que os meninos estão bem, apesar de terem ficado dez dias sem comer, e que os soldados permanecerão com eles até que sejam resgatados da caverna, localizada na província de Chiang Rai.

Assim que recuperarem a força, os jovens começarão a aprender a mergulhar com cilindros de oxigênio para deixar a caverna de onde estão desde o dia 23 de junho.

"Não há pressa", ressaltou Ruetaiwan, assegurando que os meninos e seu treinador sairão quando estiverem prontos e seja seguro para eles mergulharem ao longo de cavernas estreitas e inundadas até a saída, localizada a cerca de três quilômetros de distância.

Por enquanto, os adolescentes entre 11 e 16 anos e seu treinador de futebol, de 26, estão sendo alimentados com suplementos energéticos e vitaminas e as autoridades acreditam que os trabalhos de resgate podem durar de uma semana a alguns meses.

Segundo Ruetaiwan Patisen, as equipes demoram entre 3 e 4 horas para percorrer os quatro quilômetros entre entrada e o local onde está o grupo através de passagens inundadas e passagens acima da água.

O grupo foi localizado após vários dias de intensa busca na caverna de dez quilômetros de extensão que está parcialmente inundada. O trabalho foi feito com ajuda do Exército tailandês e especialistas dos Estados Unidos, Japão, China e Austrália, entre outros.

Segundo a versão oficial, os jovens e o técnico entraram na caverna no dia 23 de junho após um treino, e pouco depois começou um temporal que inundou o trecho inicial, o que impediu que eles conseguissem sair.