Equipe de futebol em caverna na Tailândia ainda corre risco? Veja perguntas sobre o caso

Equipe de futebol em caverna na Tailândia ainda corre risco? Veja perguntas sobre o caso

GERAL -   


Ainda que os 12 meninos, com idades entre 11 e 16 anos, e o técnico de 25 anos tenham sido encontrados com vida, o difícil resgate da equipe de futebol tailandesa presa há nove dias em uma caverna inundada no norte da Tailândia gera uma série de perguntas.

Agora que foram localizados, eles estão seguros?

Não. Segundo a Marinha tailandesa, os meninos e o treinador passaram por uma avaliação médica. Mesmo enfraquecidos, o estado de saúde deles foi classificado como bom. Apenas alguns deles apresentaram lesões leves, tais como arranhões e feridas. O principal incômodo relatado pelos sobreviventes foi a fome. Ainda assim os mergulhadores levaram a eles alimentos de alto teor energético, principalmente carne de porco grelhada, arroz doce e leite.

Veja também:

  • C omo os meninos sobreviveram por 9 dias e quais as opções de resgate
  • O momento em que mergulhadores encontram os meninos
  • Esforços para resgate incluem mergulhadores, drones e cães farejadores
  • Meninos presos em caverna na Tailândia: mais chuvas podem forçar resgate urgente

Mas, como alertaram as autoridades, o perigo ainda existe. O grupo permanece preso em uma pequena encosta coberta de lama, cercada por água em uma câmara escura e apertada a cerca de 2 km da entrada da caverna e a uma profundidade de até 1 km, segundo o Conselho Britânico de Resgate de Cavernas, que tem auxiliado as autoridades locais no trabalho de resgate.

Royal Thai Navy Facebook Page via AP
Os 12 meninos, entre 11 e 16 anos, e o técnico estão em uma área seca da caverna

Quais são os perigos de eles permanecerem na caverna? 

A principal preocupação da equipe de resgate está no risco do aumento do nível da água na caverna, potencializado pela temporada de monções vivida pela Tailândia, que se estende até outubro.

Esse também é um fator que pode provocar avalanches, os deslizamentos de rochas e a diminuição do espaço em que os sobreviventes estão abrigados. Há ainda o fator emocional, como acrescentou Andy Eavis, ex-diretor da Associação Britânica de Espeleologia, em entrevista à BBC

"Os meninos e o treinador também precisarão se manter calmos e ficar em cima da rocha enquanto esperam pelo resgate. Do contrário, eles podem cair em algum buraco entre as rochas ou serem levados pela água", disse ele, que completou: "O maior problema é ter que rastejar lá dentro no escuro".

Quais são os riscos do resgate submerso?

Para chegar ao local onde a equipe está abrigada, os mergulhadores tiveram que passar por canais apertados, além de enfrentar a escuridão do local, água barrenta e a correnteza em algumas das áreas percorridas. Um trajeto que, segundo o Conselho Britânico de Resgate de Cavernas, seria bastante perigoso para os meninos, que teriam que aprender a mergulhar. 

"Todas as opções viáveis para o resgate dos meninos estão sendo consideradas", afirmou Bill Whitehouse, vice-presidente do Conselho Britânico de Resgate de Cavernas, durante uma entrevista à CNN. Mas, segundo ele, o mergulho é uma das estratégias mais arriscadas e menos preferíveis.

A opção mais segura seria permanecer no local e continuar a fornecer suprimentos aos garotos até que o nível da água abaixe. Opção que poderia levar até quatro meses e que se tornaria inviável caso as bombas usadas para drenar o complexo de cavernas não sejam suficientes para conter a inundação que tem sido intensificada pelas chuvas.

Xinhua
Para chegar a área em que os meninos estão é preciso fazer um longo mergulho

Por que as autoridades estão fornecendo quatro meses de comida? É possível esperar tanto tempo pelo resgate?

O capitão Akanand Surawan, comandante da Marinha Real da Tailândia, disse que as autoridades fornecerão à equipe de resgate quatro meses de comida. O que indica que as autoridades também estejam cogitando esperar o fim da estação chuvosa, em outubro, para resgatar os meninos e o treinador.

Mas mantê-los por lá todo esse tempo "pode não ser uma opção", afirmou Tim Taylor, um experiente explorador do oceano e especialista em robótica subaquática, ao avaliar o tipo de rocha porosa encontrada dentro da rede de cavernas. "É uma esponja gigante, então, se a água subir em qualquer lugar do lençol freático, isso afetará todo o sistema de cavernas", explicou o especialista em entrevista à CNN.

É possível criar uma nova passagem? Como isso poderia afetar os meninos?

Essa é uma opção que foi cogitada pela equipe de resgate, mas que não tem sido muito bem-sucedida. Algumas possíveis entradas foram sondadas, mas nenhuma delas perto o suficiente do local em que o grupo está refugiado. Além disso, de acordo com o Conselho Britânico de Resgate de Cavernas, os meninos estão "localizados em um espaço relativamente pequeno e isso tornaria muito difícil qualquer potencial tentativa de perfuração como meio de resgate".

Veja Álbum de fotos