Cade autoriza International Paper a participar de processo sobre fusão de Fibria e Suzano

Cade autoriza International Paper a participar de processo sobre fusão de Fibria e Suzano

GERAL -   


Por Raquel Stenzel

SÃO PAULO (Reuters) - O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aceitou pedido da International Paper para participar como terceira interessada no processo que analisa a fusão entre a Suzano Papel e Celulose e a Fibria, de acordo com despacho publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira.

A International Paper, com sede nos Estados Unidos, que atua nos segmentos de celulose, papel de imprimir e escrever, atividade florestal e embalagens, alegou que suas atividades podem ser afetadas pela operação, inclusive sua relação com a Fibria no município de Três Lagoas (MS). O Cade deu prazo de 15 dias para a empresa apresentar documentos e informações ao processo.

O Cade, contudo, rejeitou o pedido do grupo Royal Golden Eagle (RGE) para ingressar como terceiro interessado, alegando que a empresa não fundamentou seu interesse no negócio. O grupo é dono da Bracell, que tem atividade na Bahia.

"A RGE não trouxe aos autos maiores fundamentações e justificativas que pudessem corroborar o seu legítimo interesse em habilitar-se como terceiro interessado", disse a Superintendência-Geral do Cade em parecer.

A união entre a Fibria e a Suzano, para a criação da maior produtora de celulose do mundo, foi anunciada em março. A operação já foi aprovada pelas autoridades de defesa da concorência dos Estados Unidos.