Incêndios florestais saem de controle na Grécia e deixam dezenas de mortos

Incêndios florestais saem de controle na Grécia e deixam dezenas de mortos

GERAL -   

Sobe para 60 o número de mortos devido ao fogo em várias regiões do país. Ao menos outras 170 pessoas ficam feridas, e centenas são obrigadas a deixar suas casas. Autoridades decretam estado de emergência.Os incêndios florestais que se alastram pela Grécia já deixaram ao menos 60 mortos e cerca de 170 feridos, muitos deles em estado crítico, comunicou a Defesa Civil grega nesta terça-feira (24/07).

Os números devem aumentar ainda mais nas próximas horas, pois as autoridades continuam a receber telefonemas de alerta para pessoas desaparecidas. Mais de 3 mil bombeiros estão em ação.

As chamas estão fora de controle desde a tarde desta segunda-feira, devido aos fortes ventos na região. O fogo destruiu várias casas e obrigou dezenas de pessoas a deixarem suas residências.

Ainda não se sabe o que causou o fogo. Esse é o pior incêndio florestal no país em uma década. A pior temporada havia sido a de 2007, quando mais de 60 pessoas morreram.

Um porta-voz da Cruz Vermelha disse à rede de televisão pública ERT que, depois de terem sido encontrados 24 corpos na segunda-feira, os bombeiros descobriram nesta terça-feira mais 26 cadáveres carbonizados num campo localizado na pequena cidade de Mati. Aparentemente, o grupo, que incluía adultos e crianças, morreu abraçado, a poucos metros do mar.

Todas as vítimas foram encontradas entre o porto de Rafina, a cerca de 30 quilômetros de Atenas, e Nea Makri, cerca de dez quilômetros mais ao norte. As vítimas estavam em casa ou nos seus carros. Outras tentaram fugir do fogo atirando-se ao mar, mas acabaram por morrer afogadas.

Entre os mortos está uma adolescente de 15 anos. Segundo testemunhas ouvidas pela agência de notícias Reuters, quatro pessoas morreram quando o fogo atingiu uma rodovia na comunidade de Mati, ao leste de Atenas, um popular destino turístico. Duas pessoas morreram numa moto e outras duas num carro.

A polícia estimou ainda que 300 pessoas estejam presas em suas casas. Um orfanato, duas bases militares, acampamentos de verão para crianças em Atenas e diversas comunidades na região foram evacuados.

Um primeiro incêndio florestal começou no nordeste de Atenas, na área de Penteli, estendendo-se à cidade de Rafina. Em Mati, a guarda costeira enviou um barco de patrulha para retirar as pessoas de uma praia que ficou cercada pelas chamas.

A guarda costeira afirmou que várias pessoas entraram no mar em pânico com aproximação do fogo. Várias foram resgatadas, mas há relatos de desaparecidos, incluindo quatro turistas da Dinamarca.

Um segundo incêndio devastou florestas montanhosas de pinheiros, a 50 quilômetros ao oeste de Atenas. O incêndio criou uma nuvem de fumaça tão espessa fazendo com que as principais vias rodoviárias entre a península de Peloponeso e Grécia continental fossem fechadas.

Autoridades gregas declararam estado de emergência ao leste e oeste da grande Atenas. A Defesa Civil da Grécia pediu ajuda à União Europeia (UE) para combater o fogo. O país necessita de recursos terrestres e aéreos para controlar as chamas.

"Estamos lidando com algo completamente assimétrico", afirmou o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, que encurtou uma viagem oficial à Bósnia-Herzegovina diante da situação. "Estamos fazendo tudo que é humanamente possível para controlar esses incêndios", acrescentou.

CN/AS/lusa/rtr/ap/efe

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram | Newsletter