PT e PC do B confirmam aliança; Manuela deve assumir o posto de vice

PT e PC do B confirmam aliança; Manuela deve assumir o posto de vice

GERAL -   

  • 1.mai.2018. Ricardo Stuckert/Divulgação

    Segundo a presidente do PT, Haddad e Manuela vão sair pelo Brasil em campanha já nesta semana

    Segundo a presidente do PT, Haddad e Manuela vão sair pelo Brasil em campanha já nesta semana

Na noite deste domingo (5), o PCdoB e o Partido dos Trabalhadores (PT) decidiram firmar aliança para a Presidência da República, anunciou a presidente do PT, a senadora Gleisi Hoffmann.

Segundo ela, a nomeação de Fernando Haddad como vice foi feita para garantir o registro da candidatura, respeitando o prazo definido pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Assim, Manuela D'Ávila será a vice "de fato" da chapa.

Leia também:

  • Defesa já monitora 2 ações que pedem impugnação de candidatura de Lula
  • Sem outsider, antiga polarização PSDB e PT volta a ter hegemonia
  • Mesmo com Lula preso, militância do PT refuta "plano B" em convenção

"Decidimos, o PT e o PCdoB, consultando o Pros, de colocar nesse momento como vice-presidente Fernando Haddad para fazer a representação do presidente Lula durante esse processo tão logo se estabilize a situação dele", afirmou Gleisi.

A presidente do PCdoB, Luciana Barbosa de Oliveira Santos, confirmou a estratégia.

"Nós estamos fazendo o desenho da frente que foi possível construir, entendendo a necessidade de um pacto das candidaturas de nosso campo. Nossa candidata viajou o país pregando a unidade, e vamos fazer aquilo que nós estávamos dispostos a fazer", justificou a parlamentar.

A possibilidade de nomear Manuela como vice foi indicada pelo próprio Lula na carta publicada hoje, em que indicou Haddad como vice .

Segundo a presidente do PT, Haddad e Manuela vão sair pelo Brasil em campanha já nesta semana. A coligação também reúne o PROS e o PCO.

Candidatura de Lula ameaçada

A candidatura de Lula à Presidência foi  confirmada em convenção do PT realizada neste sábado ( 4) , mesmo o ex-presidente estando preso em Curitiba, no Paraná.

A deliberação sobre o nome do candidato à vice-presidência ocorre em meio a dúvidas jurídicas sobre o prazo para definição da chapa. O partido havia decidido ainda no sábado não indicar de imediato um vice para Lula, mas houve um entendimento de que a oficialização de um nome depois de segunda-feira poderia gerar riscos de impugnação da candidatura.

A presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, chegou a oferecer a vaga a Ciro Gomes, candidato presidencial do PDT,  que negou a opção  e qualificou a oferta como uma "aberração". Na sexta-feira, o nome de Manuela D'Ávila também chegou a ser apontado para o cargo, segundo disse uma fonte à Reuters.

Ações já pedem impugnação de candidatura

A equipe jurídica que assessora o PT na área eleitoral identificou, até a noite deste domingo, duas ações que pedem a impugnação do registro da candidatura de Lula ao Planalto no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Os advogados vão se manifestar alegando que a Justiça Eleitoral não pode decidir sobre a candidatura antes do registro da chapa, programado para o dia 15 de agosto.

O advogado Luiz Fernando Casagrande Pereira esteve reunido, neste domingo, com a direção do PT para definir os detalhes da indicação do candidato a vice e do processo de registro da candidatura.

(Com Estadão Conteúdo e Reuters)

Veja Álbum de fotos