Aos 67, grávida de gêmeos recusa conselho para abortar e pode ser a mais velha a dar à luz

Aos 67, grávida de gêmeos recusa conselho para abortar e pode ser a mais velha a dar à luz

GERAL -   

  • Mark Schiefelbein/AP

Uma chinesa de 67 anos que está grávida de gêmeos rejeitou o conselho dos médicos para abortar. Ela afirma estar decidida a levar sua gestação até o fim, o que a transformaria na mulher mais velha a dar à luz.

Ela e seu marido, moradores de Pequim, perderam o único filho em um acidente de trânsito há quatro anos. Então decidiram realizar um tratamento de fertilização in vitro para voltar a ter filhos, informou nesta quarta-feira (8) o jornal "Beijing News".

A mulher, que só teve seu sobrenome divulgado, Zhang, não teve mais herdeiros por conta da política do filho único então vigente na China.

Após a morte de seu único herdeiro, aos 34 anos, ambos conseguiram que um hospital de Taiwan topasse realizar o tratamento para que ela voltasse a ficar grávida. No entanto, os médicos chineses recomendaram que ela aborte devido ao perigo para sua saúde.

Além disso, a Comissão Municipal de Saúde e Planejamento Familiar de Pequim comunicou a hospitais e médicos da cidade que não devem prestar atendimento médico sem consultar primeiro as autoridades.

Perante as críticas e perguntas sobre o fato, Zhang assegura que pode viver até os 85 anos para ver seus filhos alcançarem a idade adulta, mas não assegura que um sobrinho, atualmente de 40 anos, cuidaria deles.

Na China não há uma idade limite para a maternidade. Até agora, a mulher mais velha a dar à luz no país tinha 62 anos.