Empresas sul-coreanas violam sanções ao comprar carvão e ferro de Pyongyang

Empresas sul-coreanas violam sanções ao comprar carvão e ferro de Pyongyang

GERAL -   

Seul, 10 ago (EFE).- Três empresas sul-coreanas importaram carvão e ferro da Coreia do Norte no ano passado, no valor de mais de US$ 5 milhões e tentaram ocultar sua origem, o que representa uma violação das sanções impostas sobre Pyongyang pelos seus testes de armas.

As companhias importaram estes bens por um total de 6,6 bilhões de wons (cerca de US$ 5,84 milhões) entre abril e outubro de 2017, segundo informou nesta sexta-feira o Escritório de Alfândega da Coreia (KCS).

Elas utilizaram um porto russo como escala para trazer a mercadoria e falsificaram seu país de origem, segundo o escritório.

O KCS considera que a intenção destas companhias era lucrar aproveitando que o carvão norte-coreano é vendido mais barato em relação aos atuais preços do mercado.

A resolução 2371 do Conselho de Segurança da ONU aprovada contra a Coreia do Norte pelos seus lançamentos de mísseis balísticos intercontinentais proíbe totalmente desde agosto de 2017 que o regime liderado por Kim Jong-un venda seus minerais, seu principal recurso de exportação, para outros países.

O anúncio do KCS acontece depois que o governo sul-coreano explicou no mês passado que investiga várias embarcações estrangeiras por supostamente introduzir carvão norte-coreano no país ou transferir em alto-mar petróleo para navios norte-coreanos, algo que também recebeu uma sanções da ONU em dezembro do ano passado, em virtude da resolução 2397.