Alckmin rebate críticas de Ciro em sabatina e o chama de "aloprado fujão"

Alckmin rebate críticas de Ciro em sabatina e o chama de "aloprado fujão"

GERAL -   

  • Lucas Lima/UOL

    Ciro Gomes na sabatina UOL, Folha e SBT

    Ciro Gomes na sabatina UOL, Folha e SBT

O candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin , reagiu na tarde desta segunda-feira (3) a críticas feitas a ele, mais cedo, pelo presidenciável do PDT, Ciro Gomes. Em sabatina promovida pelo UOL em parceria com a Folha e o SBT, Ciro se contrapôs ao ex-governador ao ser indagado sobre ações de combate à corrupção e disse que "Alckmin deixa roubar" .

Em seu perfil oficial no Twitter, o tucano rebateu o adversário ao chamar de "irresponsabilidade" a menção a seu nome. "Irresponsabilidade de quem tenta fugir da obrigação de esclarecer a grave denúncia publicada pela [revista] Veja. Agindo como um aloprado fujão, Ciro presta um desserviço ao debate eleitoral", escreveu.

O tucano se referiu a reportagem publicada pela Veja, na última sexta (31), apontando que o pedetista teria conhecimento de um esquema de propinas envolvendo seu irmão, o candidato a senador pelo Ceará Cid Gomes.

À Veja, o ex-tesoureiro do Pros, Niomar Calazans, afirmou que os irmãos Gomes teriam comprado por R$ 2 milhões o controle do partido no estado e operado esquema de extorsão contra empresários. Ciro nega as acusações. Tanto o presidenciável quanto Cid foram filiados ao Pros entre 2013 e 2015.

Em entrevista coletiva durante uma agenda de campanha em unidade do restaurante popular Bom Prato, na zona leste de São Paulo, Alckmin fora indagado sobre as colocações de Ciro na sabatina, mas foi mais econômico ao rebatê-las. "É um irresponsável", resumiu, na ocasião.

Sobre a reportagem de Veja, Ciro divulgou nota em que alega nunca ter se envolvido "em qualquer tipo de corrupção, ilegalidade ou imoralidade ao longo dos meus 38 anos de vida pública. Nunca respondi nem respondo por nenhuma acusação moral, nem jamais tive meu nome envolvido em qualquer escândalo". O presidenciável defendeu ainda que "Cid é honrado e nunca se envolveu em nenhuma imoralidade, ilegalidade ou corrupção".

Hoje, na sabatina, ao ser questionado sobre a reportagem de Veja, Ciro enfatizou não haver "gravação, delação premiada, um testemunho, um documento, uma pista, uma pegada, seja o que for" contra ele. O pedetista ainda acusou o presidente Michel Temer (MDB) de ter "encomendado" a reportagem da revista, que chamou de "moribunda".

Questionado sobre provas a respeito dessa acusação, o pedetista argumentou que o "financiamento que, com o BNDES quebrado, estão obtendo" provaria.