Sánchez: Santos pressiona Conmebol para ter documentos e entrar com recurso

Sánchez: Santos pressiona Conmebol para ter documentos e entrar com recurso

GERAL -   

  • Ale Cabral/AGIF

    Escalação irregular de Sánchez acabou tirando Santos da Libertadores

    Escalação irregular de Sánchez acabou tirando Santos da Libertadores

O Santos pressiona a Conmebol para que a entidade sul-americana envie o mais rápido possível ao departamento jurídico do clube os fundamentos da decisão que amparou o resultado de 3 a 0 a favor do Independiente – em julgamento ocorrido na última terça-feira (28).

Segundo apurou o UOL Esporte , o clube da Vila Belmiro ainda aguarda os documentos solicitados para que assim consiga combater as fundamentações em recurso que irá à Conmebol. O prazo para recorrer da decisão na Câmara de Apelações da Conmebol é de sete dias a partir do recebimento dos fundamentos.

Vale lembrar que o Santos só pode tentar a mudança do resultado no Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) depois da decisão do recurso na Câmara de Apelações da Conmebol .

O Santos foi considerado culpado pela Conmebol pela escalação irregular de Carlos Sánchez contra o Independiente, pelo  jogo de ida das oitavas de final da Libertadores . A decisão foi anunciada na terça-feira (28) e alterou o placar de 0 a 0 da partida de ida para 3 a 0.

As duas equipes voltaram a se enfrentar no Pacaembu e, com novo placar de 0 a 0 (em campo), o Independiente avançou para as quartas de final da Copa Libertadores.

A polêmica que levou o jogo para o tribunal aconteceu por causa de uma expulsão de Sánchez em 26 de novembro de 2015, na Copa Sul-Americana, quando ele atuava pelo River Plate. O jogador deixou o clube argentino e foi para o futebol mexicano, não cumprindo a suspensão automática em competições da Conmebol.

Há quem diga que o jogador tinha condições de jogo como consequência de uma anistia promovida pela Conmebol em seu centenário, em 2016, quando diminuiu pela metade a pena em vigor de jogadores em competições sul-americanas.

A defesa do Santos se baseava no  sistema "Comet" , da Conmebol, que apontava Sánchez como apto para a partida. Os  advogados santistas usaram o caso do Lanús  na temporada passada, quando a Conmebol deu ganho de causa ao clube após acusação de escalação irregular de Lautaro Germán Acosta. Na ocasião, o "Comet" foi utilizado para mostrar que não havia problema na inclusão do atleta.

Outro ponto abordado foi o do River Plate. O Santos alegou à Conmebol que a entidade concedesse ao clube no "caso Sánchez" a mesma decisão que tomou envolvendo o jogador Bruno Zuculini, do time argentino. Neste caso, a entidade máxima do futebol sul-americano alegou falta de denúncia de adversários e não puniu o clube argentino por escalação irregular. Zuculini terá apenas que cumprir suspensão ainda nesta edição.