E(L!)eições 2018 - José Maria Eymael: 'Não pouparei esforços para desenvolver todas as modalidades'

E(L!)eições 2018 - José Maria Eymael: 'Não pouparei esforços para desenvolver todas as modalidades'

GERAL -   


A garantia de um incentivo frequente no esporte marca a postura de José Maria Eymael. O candidato à Presidência da República pela Democracia Cristã (DC) garante que dará maior suporte aos atletas caso seja eleito, e só fará mudanças de leis que garantem investimentos em caso de extrema necessidade financeira para o país.

O empresário faz ressalvas pontuais à atual gestão do Ministério do Esporte e promete uma "gestão competente e austera" para recuperar o legado da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos. Nesta segunda-feira, o LANCE! publica sua oitava entrevista na série com presidenciáveis.

Foram feitas dez perguntas por e-mail - iguais para todos os 13 candidatos - a respeito de planos de desenvolvimento e futuro do esporte no país. A lista de entrevistados segue uma ordem alfabética e, nesta terça-feira, será a vez de Marina Silva (REDE) divulgar seus pontos de vista.

LANCE!: Quais são os seus planos para desenvolver o esporte no Brasil, tanto de base quanto de alto rendimento?

José Maria Eymael: Esporte é saúde e educação. É parte de grande relevância na vida de qualquer cidadão e conquista divisas para o país. Em meu governo, não pouparei esforços para incentivar e desenvolver todas as modalidades no Brasil.

L!: A edição da Medida Provisória 846 assegurou aumento dos recursos das loterias para o esporte após uma grande mobilização do setor, insatisfeito com os cortes que a MP 841 causaria, devido ao plano do governo federal de priorizar a segurança pública. Se eleito, pretende mexer na distribuição dessas verbas destinadas ao esporte? Se sim, de que formas?

Mexer em verbas destinadas a uma área tão necessária só em último caso e se áreas de maior prioridade assim exigirem. No entanto, em um governo que tem na probidade e na competência, assim como no caráter, seus pontos de apoio, isso não ocorrerá.

L!: Em tempos de recessão econômica, como é possível evitar que o país caia em um declínio esportivo? Pretende manter o padrão brasileiro atual de investimentos no esporte?

A recessão se deve a administrações não comprometidas com o crescimento econômico e com o desenvolvimento, metas prioritárias de meu governo.

L!: A CBF esteve envolvida nos últimos anos em uma série de escândalos de gestão. Ex-dirigentes já foram banidos do futebol e até presos. Que avaliação faz da atual diretoria? O governo deve intervir na gestão do futebol e da entidade? Se sim, de que forma?

O governo deve intervir em questões essenciais para a governabilidade. Todo crime e desvio de conduta, seja em que área for, tem que ser apurado e os culpados punidos.

L!: O que acha da atuação do Ministério do Esporte? Pretende manter o investimento em planos de incentivo direto aos atletas, como o Bolsa Atleta?

Investimento no esporte, sempre. Quanto ao atual Ministério da pasta, tem tido uma atuação à altura. Mas precisa de maiores investimentos em nossos atletas.

L!: Em um eventual governo seu, o Ministério do Esporte ficará a cargo de uma pessoa com forte conhecimento sobre o assunto ou utilizada em barganha?

?Sempre primamos por gestões competentes, nas quais a honra e o caráter sejam condições básicas. Um nome ligado a área e com fortes conhecimentos é sempre desejável.

L!: O governo federal é responsável pela gestão de boa parte das instalações utilizadas nos Jogos Rio-2016, por meio da Autoridade de Governança do Legado Olímpico (AGLO). Como pretende administrá-las e que medidas tomará para que a população e os atletas do país usufruam do legado do megaevento? A AGLO será mantida caso seja eleito?

Manterei todas as instalações voltadas as práticas esportivas, avaliando sua viabilidade e, quando necessário, destinando mais recursos para as mesmas.

L!: Quais são seus planos para evitar que o legado da Copa do Mundo de 2014 seja abandonado?

Gestão competente e austera que viabilize que esses legados não se percam.

L!: O governo brasileiro vem "socorrendo" clubes financeiramente em medidas como o Profut. O que acha do programa? O seu governo dará suporte aos clubes do pais? De que formas?

Governo tem que governar. Ações voltadas a questões, mesmo com a importância e relevância da prática esportiva, devem ser geridas pela pasta e receber o apoio da iniciativa privada. Quanto ao Programa, vamos avaliá-lo melhor.

L: A partir de 2019, clubes que não tiverem um plantel de futebol feminino não poderão disputar a Libertadores. Acha que essa medida é um incentivo eficaz para o desenvolvimento da modalidade no país? Em um eventual governo seu, os esportes olímpicos e o futebol feminino terão alguma atenção?

Na Democracia Cristã, a mulher é parte fundamental de todas as nossas propostas. Não seria diferente quanto ao desenvolvimento das práticas esportivas. O esporte olímpico feminino e o futebol feminino receberão de nosso governo toda a nossa atenção e incentivo.

QUEM É ELE

Nome completo: José Maria Eymael

Nascimento: 02/11/1939 - Porto Alegre (RS)

Vice: Helvio Costa (DC)

Partido: Democracia Cristã (PSDC)

Ocupação declarada: Empresário

Bens declarados: R$ 6.135.114,71

NO ESPORTE

Time de coração: Grêmio

Ídolo: Não respondeu