Skaf decide apoiar Márcio França contra Doria no 2º turno em SP

Skaf decide apoiar Márcio França contra Doria no 2º turno em SP

GERAL -   

  • Alex Silva/Estadão Conteúdo

    24.ago.2018 - França e Skaf conversam antes do início do debate eleitoral promovido pela RedeTV!

    24.ago.2018 - França e Skaf conversam antes do início do debate eleitoral promovido pela RedeTV!

Terceiro colocado no primeiro turno da disputa ao governo de São Paulo, o empresário Paulo Skaf (MDB) decidiu nesta terça-feira, 9, apoiar o governador Márcio França (PSB) no segundo turno contra João Doria (PSDB) .

Ambos devem anunciar a aliança em uma agenda conjunta nesta quarta-feira, 10, na cidade de Suzano, na Grande São Paulo, onde Doria obteve mais votos que os adversários.

Skaf perdeu a vaga no segundo turno para França por uma diferença inferior a 90 mil votos. O pesebista teve 21,53% dos votos válidos contra 21,09% do emedebista. Já o tucano registrou 31,7%.

Leia também:

  • Raio-X: Veja quem ganhou a eleição na sua cidade
  • PSL elege 52 deputados federais e terá 2ª maior bancada; PT lidera
  • Em quase todos os estados, senadores são de partidos diferentes
  • Câmara supera eleições de 2010 e 2014 em índice de renovação

O candidato do MDB chegou a estar na liderança numericamente durante a campanha em algumas pesquisas feitas pelo Ibope, mas começou a cair na reta final e não conseguiu reverteu mais. Aliados atribuem a queda à declaração de apoio que ele deu ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) quatro dias antes da votação.

Presidente licenciado da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Skaf estreou em eleições em 2010 pelas mãos de Márcio França, quando foi candidato a governador pela primeira vez. Na ocasião, foi derrotado por Alckmin no primeiro turno. Em 2014, já no MDB, Skaf tentou chegar ao Palácio dos Bandeirantes pela segunda vez, mas novamente perdeu para Alckmin.

Partidos que disputam o segundo turno da eleição presidencial com Bolsonaro e Fernando Haddad, o PSL e o PT devem ficar neutros na eleição estadual, mas deixarão claro aos seus eleitores que são anti-Doria ou anti-PSDB. Nas redes sociais, petistas já circulam mensagens com a expressão "Doria, Não".