EUA unem embaixada e consulado em missão diplomática única em Jerusalém

EUA unem embaixada e consulado em missão diplomática única em Jerusalém

GERAL -   

Washington, 18 out (EFE).- Os Estados Unidos decidiram unir a embaixada e o consulado que possuem em Jerusalém "em uma só missão diplomática" com o objetivo de "melhorar a eficiência", depois de transferir em maio a delegação em Israel de Tel Aviv para a Cidade Santa, informou o governo americano nesta quinta-feira.

"Queremos atingir eficiências significativas e aumentar nossa efetividade através da fusão da embaixada dos Estados Unidos em Jerusalém e o consulado geral dos Estados Unidos em uma só missão diplomática", afirmou o secretário de Estado, Mike Pompeo, em comunicado.

Ele explicou que os EUA continuarão a fazer "uma ampla gama de relatórios, divulgação e programação" na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, assim como com os palestinos através de uma nova Unidade de Assuntos Palestinos dentro da embaixada.

O titular da diplomacia americana afirmou que esta decisão "não indica uma mudança na política do país sobre Jerusalém, Cisjordânia ou Faixa de Gaza" e que os EUA "estão firmemente comprometidos com a conquista de uma paz duradoura e integral que ofereça um futuro mais brilhante para Israel e os palestinos".

A nova embaixada americana em Israel foi inaugurada em 14 de maio em Jerusalém, na mesma hora em que 70 anos antes foi proclamado em Tel Aviv (onde ficava a sede diplomática) o Estado de Israel.

A decisão de transferir a embaixada desencadeou uma onda de protestos na Faixa de Gaza, onde mais de 50 pessoas morreram e outras 2 mil ficaram feridas em confrontos com o Exército israelense, que abriu fogo contra a multidão que se aproximou da cerca de fronteira.