Rússia considera passo perigoso a retirada dos EUA de tratado nuclear

Rússia considera passo perigoso a retirada dos EUA de tratado nuclear

GERAL -   

Moscou, 21 Out 2018 (AFP) - A retirada dos Estados Unidos, anunciada pelo presidente Donald Trump, de um tratado nuclear assinado com a Rússia durante a Guerra Fria é um "passo perigoso", afirmou neste domingo o vice-ministro russo das Relações Exteriores.

"Seria um passo muito perigoso que, tenho certeza disso, não será compreendido pela comunidade internacional e, inclusive, vai gerar sérias condenações", afirmou Serguei Riabkov à agência estatal TASS.

Trump, ao anunciar no sábado a retirada do tratado sobre armas nucleares, acusou Moscou de violar o texto "há muitos anos".

O tratado INF (Intermediate Nuclear Forces Treaty) sobre as armas nucleares de alcance intermediário foi assinado em 1987 pelo presidentes americano da época, Ronald Reagan, e pelo dirigente soviético Mikhail Gorbatchov.

Riabkov afirmou que o tratado é "importante para a segurança internacional e para a segurança no âmbito das armas nucleares, assim como para preservar uma estabilidade estratégica".

O vice-ministro acusou Washington de atuar de modo "torpe" e de abandonar unilateralmente acordos internacionais.

O governo Trump critica a instalação por Moscou do sistema de mísseis 9M729, cujo alcance, segundo Washington, supera 500 km, violando assim o texto do INF.

O tratado, que suprime o uso de toda uma série de mísseis com alcance entre 500 e 5.000 km, encerrou uma crise iniciada nos anos 1980 pela instalação dos SS-20 soviéticos, que apontavam para capitais ocidentais.