Órgão antitruste suspende política de bagagem da Ryanair

Órgão antitruste suspende política de bagagem da Ryanair

GERAL -   

ROMA, 31 OUT (ANSA) - A Autoridade Garantidora da Concorrência e do Mercado ordenou provisoriamente nesta quarta-feira (31) a suspensão da nova política de bagagem das companhias aéreas de baixo custo Ryanair e Wizz Air, que entrariam em vigor a partir desta quinta-feira (1). Em comunicado, o órgão antitruste afirma que "de acordo com a nova política é necessário um preço suplementar para a bagagem de mão [mala com rodinhas], o que, no entanto, representa uma carga não contingente previsível para o consumidor que deve ser incluída na taxa normal".   

"Assim, de acordo com a Autoridade Antitruste, o pedido de suplemento para um elemento essencial do contrato de transporte aéreo, como bagagem de mão, fornece uma falsa representação do preço real do bilhete e prejudica a comparação com as taxas de outras empresas, enganando o consumidor", acrescenta o texto.   

A nova política cobra os passageiros que querem levar uma mala com rodas ou similar para os voos da companhia. Até o momento, a Ryanair permite bolsas que não excedem 10 quilos ou dimensões de 55 cm x 40 cm x 20 cm em cabines de forma gratuita.   

Para a empresa de baixo custo, as mudanças ajudarão a reduzir os atrasos nos voos e fornecerão uma opção mais em conta de bagagem despachada.   

No entanto, após esta declaração, a Ryanair e a Wizz Air terão, por conseguinte, de suspender temporariamente qualquer atividade destinada a solicitar uma sobretaxa, além de notificar a autoridade em um prazo de até 5 dias das medidas tomadas em conformidade com a decisão. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br .