Morar mais continua por menos: evento demonstra que ainda há meios de economizar na casa

Últimas notícias -    

O dólar alto, a greve dos caminhoneiros, a crise econômica geral: não faltavam razões para modificar o conceito deste evento, que há 15 anos reúne arquitetos e decoradores em torno de projetos de custo baixo. Mesmo Ligia Schuback, organizadora da mostra, chegou a duvidar da possibilidade de conseguir ambientes seguindo o princípio do “por menos”. As soluções baratas No entanto, a maioria dos participantes criou peças dignas de admiração, por serem bonitas, divertidas (uma qualidade cobiçada atualmente) e baratas. Uma adega/prateleira/cabideiro feita de palitos de madeira no quarto inspirado. A luminária feita de porta-lápis na Sala Multiuso Carioca, de Ju Olivetti e Evangelina Campos. As paredes forradas de tecido de algodão na Sala da artista, por Andrea Riggio. No quarto inspirado pela ex-BBB Maria Clara, por Camila Saavedra e Larissa Mogilewsky, há gavetas com faqueiros servindo de organizadores de bijuteria e descansos de pratos como cabides. No mesmo quarto, a estante de tubos galvanizados, com prateleiras móveis. As ripas de madeira que costumam sobrar nas obras podem ser as bases de uma estante de cantinho, perto da adega feita com tubos de papelão na Sala e Cozinha do Casal, por Erika Natario Meirelles. E em lugar de arranjos suntuosos de flores, que tal colocar um barril com limões sobre a mesinha de centro? A sugestão está logo na entrada, no espaço Boas-Vindas, criado por Edgard Octavio junto com Edith Farjala, Raul Barbosa e Andrea Falchi. Estas ideias originais se adaptam às situações atuais. Além da pouca disponibilidade financeira para investir, a clientela  mora em espaços cada vez menores. Tanto que vários ambientes da mostra que fica no CasaShopping até o dia 09 de setembro são variações dos lofts, espaços únicos que reúnem sala, quarto e cozinha, como na sala do carioca, criada por Avner Posner: em 14m2 há uma sala de jantar que vira home office, um quarto que vira sala de estar e uma bancada para cozinha. Com direito a uma torre com tomadas e entradas USB. O conceito maior O ponto mais promissor desta edição do Morar Mais está na participação de grandes marcas, sem comprometer o objetivo de sugerir a beleza acessível, com conforto. No colorido ambiente das Americanas.com há a tentação imediata: tudo está à venda, com descontos de até 80%. Tudo, desde cadeiras e a estante azul-turquesa até uma caixa de lápis aquarelado da Stabilo.  A Casa&Video enfeita um conjugado sofisticado, montado por Daniele Boggiss em tons de cinzas, que realçam o colorido dos equipamentos. Detalhe, a torneira móvel da Lorenzetti.  Menos visível, mas importante do ponto de vista econômico, a Light está presente no Espaço de Thiago Herrera e Carolina Neves, que apresentam recursos que poupam energia, dentro da inspiração na fauna e flora amazônicas.  E a grande surpresa, para quem este acostumado a pensar na Amoedo como uma loja de artigos de construção, torneiras, metais, etc. Esta rede lança uma linha completa de móveis e objetos, por enquanto só na loja do Recreio. E mais: a Kobe, marca própria de produtos muito práticos, como caixas organizadoras, estantes, escadinhas para plantas.  Afinal, os preços A entrada de cada ambiente tem uma ficha com o nome dos autores, a lista de fornecedores e respectivos preços. Muitas vezes, leva-se um susto ao ver totais que passam dos R$ 100 mil! Mas uma das recepcionistas explicou: “em geral, isto se deve ao custo dos equipamentos eletrônicos. Por exemplo, há um microondas que custa R$ 13 mil. Porque as empresas que colocam seus aparelhos querem mostrar o que há de mais novo, mais moderno. O que, em geral, é mais caro”. Explicação aceita, nota-se que a maior parte do evento tem ambientes custando em torno dos R$ 50 mil, com todos os produtos, revestimentos e móveis incluídos. Desde que não tenha o ultra-mega-blaster microondas.  Conclui-se que, com a orientação de um profissional criativo e antenado com o momento atual econômico, é possível morar bem com um orçamento razoável. Às vezes basta reinventar a utilidade de um porta-lápis ou buscar artigos em endereços diferentes _ como a luminária de R$ 80 vista no Apartamento Industrial, da Amoedo. Depois, quem sabe, quando a situação melhorar, esbanja-se mais para automatizar a casa com a Alexia, como na sala multifuncional assinada por Kylze Guimarães, que trouxe móveis da Canto da Casa, de Cabo Frio.   

Fonte: http://www.jb.com.br/cultura/noticias/2018/08/18/morar-mais-continua-por-menos-evento-demonstra-que-ainda-ha-meios-de-economizar-na-casa/
 

 */ ?>