Preço do diesel em xeque

Últimas notícias -    

O gerente de Marketing e Comercialização da Petrobras, Guilherme França afirmou que não vê racionalidade econômica na metodologia de cálculo do preço de referência proposto pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para balizar o programa de subvenção do óleo diesel. “Na região Sudeste e Centro-Oeste, a situação é mais grave ainda. Tenho dúvida se teria autorização da diretoria para importar com risco de prejuízo”, afirmou França, em audiência pública da agência reguladora para recolher opinião do mercado sobre a metodologia proposta. Entre os participantes, a posição unânime é de que a metodologia proposta pela ANP gera um preço inferior ao de importação, o que inibe as empresas a trazer o produto de fora. Com isso, há um risco de desabastecimento do mercado interno, porque as refinarias da estatal não são capazes de atender toda demanda, segundo França. Também presente à audiência, o presidente da Abicom, Sérgio Araújo, representante das empresas importadoras disse ainda que a fórmula proposta pela ANP sinaliza aos investidores que não vale a pena entrar no mercado nacional.  “Nenhum investidor tem segurança de colocar dinheiro nessa condição. Essa proposta pode condenar o Brasil a parar de crescer”, disse Araújo. Etanol A relação entre os preços do etanol e da gasolina caiu abaixo de 60% na segunda semana deste mês na capital paulista, conforme a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). No período, essa equivalência atingiu 58,83% após 60,77% na anterior.  O resultado é o mais baixo para uma segunda semana de agosto desde 2010, quando alcançou 57,43%, refletindo a ampla oferta do álcool combustível, observa Moacir Mokem Yabiku, gerente de Pesquisa da Fipe. “Reflete a boa produção.” Para especialistas, o uso do etanol deixa de ser vantajoso quando o preço do derivado da cana-de-açúcar representa mais de 70% do valor da gasolina. A vantagem é calculada considerando que o poder calorífico do etanol é de 70% do poder do combustível fóssil. Com a relação entre 70% e 70,5%, é considerada indiferente a utilização de gasolina ou etanol. Carf A Petrobras obteve por unanimidade, decisão favorável das segunda turma da 4ª Câmara da 1ª Seção do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) em processo no valor de R$ 8,4 bilhões movido pela Receita Federal. O órgão cobrava da estatal Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) obtidos com o desenvolvimento da produção de petróleo e gás natural relativo ao exercício de 2011. A Petrobras disse, em nota, que as chances de a decisão ser revertida são remotas. Por este motivo, o processo não consta das demonstrações financeiras da companhia relativas ao segundo trimestre de 2018, quando a Petrobras anunciou um lucro líquido de R$ 10,07 bilhões.

Fonte: http://www.jb.com.br/economia/noticias/2018/08/18/preco-do-diesel-em-xeque/
 

 */ ?>