Obituário: Eddie ‘Chank’ Williams, guitarrista da Motown, aos 82

Últimas notícias -    

Responsável pela guitarra em diversos sucessos da Motown, Eddie “Chank” Willis morreu na segunda-feira em casa, Gore Springs, no Mississipi (EUA), aos 82 anos. A morte do músico foi informada pela filha dele, Terez Willis. Segundo ela, o pai vinha sofrido complicações causadas pela poliomielite, da qual ele sofria desde a infância. A doença não impediu Chank de se tornar um conceituado guitarrista de estúdio, mas o obrigou a reduzir suas participações em turnês. Nascido em 3 de junho de 1936, em Grenada, também no Mississipi, ele se fixou em Detroit, onde passou a ser um dos integrantes dos Funk Brothers – mais do que uma banda, um conglomerado de músicos, de diversos instrumentos, que se revezavam para dar conta do volume de gravações da Motown, especialmente na primeira metade dos anos 1960. Os Funk Brothers foram tema do documentário “Standing in the shadows of Motown”, lançado em 2002. Da primeira linha de seus integrantes, de presença regular nas sessões da gravadora de soul, somente o também Joe Messina e o percussionista Jack Ashford permanecem vivos. Gravada em abril de 1961, “Please, mr. postman”, com o grupo vocal feminino The Marvelettes foi a primeira música com a guitarra de Eddie Willis a alncançar o número 1 da Billboard. Curiosamente, a bateria foi gravada por Marvin Gaye (1939-1984), que começou na gravadora tocando as baquetas, antes de se lançar como cantor. A canção ainda ganharia uma versão, mais roqueira, dos Beatles, no álbum “With The Beatles”, de 1963, e outra, mais leve, dos Carpenters, em 1974. Outra canção a bater o número 1 da Billboard teve participação importante do músico. Gravada em 1966 pela Supremes, “You keep me hanging on” começa com um riff agudo de guitarra tocado repetidamente por Eddie Willis, com o intuito de emular uma chamada de rádio semelhante a um telégrafo em código Morse. A ideia, em acordo com a letra da música, foi dos compositores Lamont Dozier e os irmãos Brian e Eddie Holland, que a passaram ao guitarrista. Foi outra canção a ganhar uma versão marcante, no ano seguinte, da banda novaiorquina Vanilla Fudge, notabilizada por pegar sucesos pop e fazer arranjos mais pesados e extensos – entre o progressivo e o hard rock.  Com Stevie Wonder, Eddie Willis gravou guitarra em músicas como “I was made to love her” e “My cherie amour” – esta, com sua assinatura puxada para um acompanhamento entre o funk e o jazz, em 1969. Também com Wonder, é de Chank é cítara elétrica que abre “Signed, sealed and delivered”, do ano seguinte. Eddie Willis permaneceu entre os músicos da Motown até poucos depois de o dono da gravadora, Berry Gordy Jr., mudar sua sede para Los Angeles, em 1972. Logo, o guitarrista preferiu retornar a Detroit, onde trabalharia regularmente com os Four Tops e o cantor Eddie Kendricks, que acabara de iniciar carreira solo, deixando os Temptations – com os quais Chank também havia gravado, em músicas como “The way you do the things you do.  Em 2010, ele ainda tocou com Phil Collins em seu álbum de versões da Motown “Going back”, ao lado de outro ex-integrante dos Funk Brothers, o baixista Bob Babbit (1937-2012). Em 2013, recebeu uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood pela banda de estúdio, com outros remanescentes. Além de Terez, Eddie Willis deixa outros quatro filhos, a mulher, Rosemary, e diversos netos.

Fonte: http://www.jb.com.br/cultura/noticias/2018/08/22/obituario-eddie-chank-williams-guitarrista-da-motown-aos-82/
 

 */ ?>