Colômbia: drones contra o tráfico

Últimas notícias -    

O governo da Colômbia começou a utilizar drones com lançadores de herbicidas para procurar e destruir plantações de coca destinadas à fabricação de cocaína. O presidente do país, Iván Duque, que tomou posse recentemente, mostrou-se favorável à medida. Segundo as autoridades, o método é menos nocivo para os cultivos vizinhos aos campos ilegais.  Segundo o “Wall Street Journal”, as forças de segurança colombianas assinaram um acordo com a companhia Fumi Drones SAA, que fornece equipamento e treinamento para a polícia local.  Críticos, no entanto, afirmam que o uso dos drones é apenas uma maneira tecnológica de lidar com um assunto que necessita de uma solução política. Além disso, seria preciso criar oportunidades de trabalho para os camponeses que vivem do cultivo da coca.  O diretor de operações da empresa, German Huertas, garantiu que os drones eliminaram 90% da coca por cada 0,4 hectares durante testes, que foram realizados no departamento de Nariño. A fase piloto utilizou 10 drones, cada um pesando 23 quilos. O herbicida escolhido é o glifosato.  Ao longo de sua campanha, Duque disse que o combate ao narcotráfico e à produção de cocaína seriam prioridades de seu mandato. Em junho, o Escritório de Política Nacional de Controle de Drogas (ONDCP) divulgou dados indicando que a produção de cocaína na Colômbia havia chegado ao seu máximo, com um aumento de 11% de 2015 para 2016.  No governo anterior, de Juan Manuel Santos, o uso do glifosato em fumigação aérea tinha sido suspenso em 2015, após a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertar que o uso do composto poderia estar relacionado a casos de câncer.  Mas um relatório do ano seguinte da ONU e da própria OMS afastou essa possibilidade, concluindo que não era provável que o glifosato “apresentasse risco cancerígeno para humanos expostos à substância por meio da dieta”.  Pouco antes de deixar o cargo, Santos autorizou o uso dos drones no combate ao narcotráfico. Por serem controlados à distância, a utilização do equipamento não representa um risco potencial para a segurança dos policiais. Além disso, como são pequenos, poderão chegar próximo ao solo sem serem identificados ou destruídos. 

Fonte: http://www.jb.com.br/internacional/noticias/2018/08/23/colombia-drones-contra-o-trafico/
 

 */ ?>