Até o dia 23 de agosto (Semana Epidemiológica 34) foram notificados 2.405 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em Santa Catarina. Destes, 702 (29,2%) foram confirmados para influenza, sendo 692 (98,6%) pelo vírus influenza A (H1N1), dois (0,3%) pelo vírus influenza A, aguardando subtipagem (para identificar se o vírus é do tipo H1N1 ou H3N2), e oito (1,1%) pelo vírus influenza B. 

Outros 1.642 casos de SRAG tiveram resultado negativo para influenza A e B (SRAG não especificada), e 48 casos se encontram em investigação, aguardando confirmação laboratorial. Os dados constam do informe epidemiológico 23 divulgado nesta sexta-feira, 26, pela diretoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde.

>>> O boletim completo está disponível aqui

Os dados são coletados pelas Secretarias Municipais de Saúde por meio de formulários padronizados e inseridos no Sistema de Informação de Agravos de Notificação on-line: SINAN Influenza Web. As amostras laboratoriais são coletadas e encaminhadas para análise ao Lacen/SC. As informações apresentadas neste informe são referentes ao período das semanas epidemiológicas (SE) 1 a 34 de 2016, ou seja, casos com início de sintomas de 3 de janeiro a 23 de agosto.

A SRAG são casos de síndrome gripal que evoluem com comprometimento da função respiratória, sem outra causa específica, que na maioria dos casos levam à hospitalização. Os casos podem ser causados por vírus respiratórios, dentre os quais predominam os da influenza do tipo A e B; ou por bactérias, fungos e outros agentes.

Casos de SRAG segundo classificação final e agente etiológico. Santa Catarina, 2016

Fonte: SINAN INFLUENZA WEB (Atualizado em 23/8/2016. Dados sujeitos a alterações)

O maior número de casos confirmados de SRAG por influenza teve o início dos sintomas na Semana Epidemiológica 15 (10 a 16 de abril) -um total de 91 casos. Esse número reduziu para 55 na semana 16 (17 a 23 de abril), se mantendo abaixo de 40 casos por semana durante todo o mês de maio. Durante julho, os casos confirmados foram abaixo dos 19 casos por semana. Em agosto, os casos ocorreram em média um caso por semana.

As regiões de Blumenau, Joinville e Chapecó concentram o maior número de casos confirmados de SRAG pelo vírus influenza até o momento. Os municípios que apresentaram o maior número de casos confirmados foram Joinville (58 casos),Blumenau (55 casos),Tubarão (36 casos), Criciúma (34 casos) e Lages (33 casos).

Em relação à idade, o maior número de casos de SRAG confirmados por influenza atingiu principalmente indivíduos da faixa etária acima de 50 anos, com 41,7% (291/702).

Perfil dos óbitos de SRAG por influenza em Santa Catarina

Até o dia 23 de agosto, foram notificados 304 óbitos por SRAG, dos quais 103 (33,9%) foram confirmados por influenza, sendo 101 (98,1%) pelo vírus influenza A (H1N1) e dois (1,9%) pelo vírus influenza B. Outros 200 óbitos por SRAG apresentaram resultado negativo para influenza A e B, sendo classificados como SRAG não especificada(Tabela 4).

Óbitos de SRAG segundo classificação final e agente etiológico. Santa Catarina, 2016

Fonte: SINAN INFLUENZA WEB (Atualizado em 23/8/2016. Dados sujeitos a alterações)

Fonte: floripanews