topo JF - Agência e Clipping de Notícias

 

 

 

19/06/2017 às 11:49
Abate de avião sírio pelas forças norte-americanas abre conflito entre EUA e Rússia

 

As forças militares norte-americanas explicam que o incidente terá ocorrido depois de o governo sírio ter largado bombas sobre uma zona ocupada pelas Forças Democráticas da Síria (FDS), apoiadas pelo Ocidente. Bashar al-Assad e Rússia prometem "repercussões perigosas".

 

 

Khalil Ashawi/Reuters

A coligação liderada pelos Estados Unidos abateu este domingo um avião de guerra sírio que estava a participar numa missão contra o autoproclamado Estado Islâmico na cidade de Raqqa, na Síria. O Exército norte-americano garante que se tratou de um ataque autodefensivo, mas o governo de Bashar al-Assad adverte que o incidente vai ter “repercussões perigosas” no combate ao terrorismo.

 

As forças militares norte-americanas explicam que o incidente terá ocorrido depois de o governo sírio ter largado bombas sobre uma zona ocupada pelas Forças Democráticas da Síria (FDS), apoiadas pelo Ocidente. O ataque sírio terá “ferido uma série” de combatentes rebeldes, forçando-os a abandonar Ja’Din, um subúrbio na cidade síria de Raqqa e obrigando os Estados Unidos a prestar auxílio ao grupo aliado.

 

“Sob as regras de envolvimento de autodefesa coletiva das forças parceiras da coligação, o avião [das forças leais ao presidente Bashar al-Assad] foi imediatamente abatido”, afirmou fonte do Pentágono à imprensa, acrescentando que esta se tratou de uma “ação hostil” que “não pode ser tolerada”.

 

Em comunicado, o exército sírio considera o abate do avião como uma “agressão flagrante” e que “revela as más intenções dos Estados Unidos ao lidar com o combate ao terrorismo”. O Governo de Bashar al-Assad acrescenta que o incidente não passará impune e irá dar uma resposta ao sucedido.

 

Também a Rússia, que apoia a ação militar síria, já se expressou contra o abate do avião de guerra sírio pelos Estados Unidos. A administração do presidente russo, Vladimir Putin, lamenta a falta de coordenação entre as forças russas e norte-americanas e, de acordo com o jornal ‘The Independent’, ameaça responder na mesma moeda e derrubar os aviões de guerra norte-americanos a operar na Síria.

 

Raqqa é o último bastião urbano do autoproclamado Estado Islâmico na Síria, que nos últimos meses tem vindo a perder força no Médio Oriente.

Loading...


 

Loading...
 

 

Cadastre seu e-mail e receba nossos boletins diários:

 

 

 

 

Leitores On Line