topo JF - Agência e Clipping de Notícias

 

 

 

19/06/2017 às 11:59
Quem é o português que morreu no Mali?
O militar português que morreu domingo, no Mali, na sequência de um atentado terrorista era natural de Valongo, tinha 40 anos e prestava serviço no Comando de Pessoal no Porto. Segundo uma fonte do exército, o Sargento-Ajudante Paiva Benido, casado e com duas filhas menores, integrava o contingente nacional na Missão de Treino da União Europeia no Mali, composto por 10 elementos. 
A morte do militar português foi confirmada esta segunda-feira pelo Estado-Maior General das Forças Armadas em comunicado, onde se explicou que o militar morreu "devido a confrontos ocorridos na sequência de um ataque de elementos rebeldes que provocou outras baixas entre elementos de outros contingentes". Outros militares ficaram feridos, "incluindo um português", que "já se encontra completamente recuperado".
RELACIONADO
Militar português morre em ataque terrorista
 Resort de luxo atacado por extremistas no Mali Resort de luxo atacado por extremistas no Mali O Hotel Le Campement Kangaba, nas imediações de Bamako, "é reconhecido e autorizado pela Missão de Treino no Mali - ao serviço da qual estava o militar - como `Wellfare Center´ entre os períodos de actividade operacional dos militares que prestam serviço naquele país".
O Estado-Maior General das Forças Armadas anunciou que já foi instaurado um inquérito "no sentido de esclarecer as circunstâncias que envolveram o ataque terrorista em Bamako".
Números oficiais do Ministério da Segurança do Mali revelam que as autoridades prenderam cinco suspeitos de participarem no ataque, que qualificaram de "atentado terrorista". Morreram quatro pessoas. 
Azeredo visitou família do militar
O ministro da Defesa, José Alberto Azeredo Lopes,  visitou de manhã a família do militar, acompanhado pelo chefe do Estado-Maior do Exército, general Rovisco Duarte, para prestar "os mais profundos sentimentos e solidariedade" numa "hora de dor e sofrimento". 
Segundo o Exército, está a ser prestado apoio psicológico aos familiares do militar através do Centro de Psicologia Aplicada do Exército. "Neste momento de luto, profunda dor e sofrimento para a família e para o Exército, o Chefe do Estado-Maior do Exército, General Frederico José Rovisco Duarte, transmitiu já à família todo o apoio e solidariedade", indicou por seu lado o Exército.
O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, Pina Monteiro, também apresentou à família "sentidas condolências".

Loading...


 

Loading...
 

 

Cadastre seu e-mail e receba nossos boletins diários:

 

 

 

 

Leitores On Line