topo JF - Agência e Clipping de Notícias

 

 

 

27/06/2017 às 19:44
Com entrega de armas, Farc dão primeiro passo para vida política

 

Santos e Timochenko fazem cerimônia para selar fim da guerrilha e começar transição

 

 

Venezuelanos saqueam supermercado em Maracay, no estado de Aragua Foto: FEDERICO PARRA / AFPVenezuelanos saqueiam mais de 50 lojas em protesto, e militar é morto27/06/2017 15:23

Líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer se junta a outros congressistas contra proposta de substituir o Obamacare Foto: Andrew Harnik / APNovamente divididos, republicanos adiam votação sobre 'Trumpcare'27/06/2017 15:10

BOGOTÁ - Após meio século de conflito, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) deram na segunda-feira o primeiro passo na transição para a vida política, ao finalizar a entrega total das armas — uma medida fundamental para o acordo de paz, selado em novembro do ano passado. Na sexta-feira, o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, já havia antecipado a conclusão da terceira e última etapa do processo, que ratificada pela missão da ONU no país, formada por 450 observadores. Na manhã de terça-feira, Santos e o líder das Farc, Rodrigo Londoño, o Timochenko, oficializam o fim da guerrilha armada num ato em Mesetas, área rural do departamento de Meta.

 

Os jornalistas Derk Johannes Bolt e Eugenio Ernest Marie Follender foram libertados pelo Exército de Libertação Nacional

ELN liberta jornalistas holandeses sequestrados na Colômbia

Frustração. Colombianos participam de ato em Bogotá para exigir a paz: marcha coincidiu com tentativa de acordo entre o governo e as FarcAcervo O GLOBO: Farc e a guerrilha na Colômbia, uma história que já dura mais de 50 anos

Em comunicado, a ONU confirmou já ter armazenadas as 7.132 armas previstas. A guerrilha entregou, na semana passada, os 40% restantes de suas armas — os outros 60% haviam sido devolvidas nas duas semanas anteriores. A exceção são algumas pistolas e fuzis que servirão para fazer a segurança das 26 áreas de concentração, conhecidas como zonas de desarmamento, até 1º de agosto, data em que se iniciará oficialmente sua transição para uma formação política — a ONU determinou quantas armas poderão ser usadas. “Nesta data, a missão terá armazenado todo o armamento dos campos e extraído seus conteúdos das zonas de desarmamento, que passarão a ser Espaços Territoriais de Capacitação e Reincorporação”, explica a nota oficial.

 

Até agora, a missão já destruiu armas, munições e explosivos de 77 depósitos camuflados na selva.

 

— Conseguimos a permanência desta situação pós-conflito, e isso me parece notável. O sentido histórico é que se obtém a plena irreversibilidade (do conflito) — explicou ao jornal “El País” Jorge Restrepo, diretor do Centro de Recursos para a Análise de Conflitos (Cerac).

 

Em um vídeo nas redes sociais, o ministro da Defesa, Luis Carlos Villegas, destacou a importância do ato em Mesetas:

 

— A abdicação das armas é, talvez, a data mais importante para as últimas três gerações de colombianos. Em meus 60 anos, vou ver pela primeira vez as Farc desarmadas a partir de amanhã.

 

Timochenko: ‘Muito emocionado’

 

O líder das Farc, Rodrigo Londoño, o Timochenko, chegou durante a manhã de segunda-feira a Mesetas, no centro da Colômbia, onde a guerrilha oficializará o processo de desarmamento. No Twitter, Timochenko disse estar “muito emocionado” e postou uma foto em que aparecia vestido com uma blusa azul escrito Norway (Noruega), país que ao lado de Cuba foi um dos garantidores do pacto. Ele chegou à cidade em um helicóptero do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICR) e foi recebido por policiais e ex-guerrilheiros.

 

— Hoje, mais de 7 mil homens e mulheres desta guerrilha estão concentrados em 26 zonas ao longo de nosso território, entregando as armas que tinham consigo às Nações Unidas — explicou o presidente Santos na sexta-feira, em um discurso na sede da Unesco, em Paris.

Loading...


 

Loading...
 

 

Cadastre seu e-mail e receba nossos boletins diários:

 

 

 

 

Leitores On Line