topo JF - Agência e Clipping de Notícias

 

 

 

27/06/2017 às 18:45
Mulher fica em cadeira de rodas após orgasmos múltiplos

 

 

Lucinda Allen estava, em 2012, grávida de seis meses. O seu dia-a-dia era perfeitamente normal e isso incluía o sexo com o marido.

 

Porém, tudo mudou depois de atingir o segundo orgasmo após a relação sexual com Tony.

 

Ao princípio, conta Lucinda ao jornal The Sun, era apenas uma dor de cabeça por cima do olho direito, mas logo passou a ser uma dor insuportável que a obrigou a ir para o Queen Elizabeth’s Hospital em Birmingham, Inglaterra.

 

Lá, os médicos revelaram o pior cenário: Lucinda estava com uma hemorragia cerebral e a única forma de controlar os danos era através do coma induzido. Assim foi. Grávida de seis meses, Lucinda acordou do coma seis dias depois, mas já não era a mesma mulher.

 

“Acordar do coma é um processo lento e confuso. Eu recusava-me a acreditar que tinha sofrido um AVC e não me tinha apercebido de quão graves tinham sido os danos causados pelo AVC”, contou ao jornal Mirror.

 

Pior do que ter sofrido um AVC era o facto de Lucinda ter sofrido cinco, o que a deixou paralisada, obrigando-a a passar o resto da vida numa cadeira de rodas.

 

E foi nesta condição que Lucinda deu à luz em Novembro de 2012. A cesariana decorreu sem problemas e o casal foi pai de uma menina saudável.

 

Agora, aos 43 anos, Lucinda decidiu tornar pública a sua história para alertar as mulheres para o problema das dores de cabeça pós-orgasmo.

 

“É incompreensível. Ninguém fala da dor de cabeça pós-orgasmo, mas eu quero alertar para o facto de esta dor ser um sinal de alarme. Por causa dela eu perdi uma grande parte de mim – a minha carreira e a oportunidade de voltar a ser mãe”, referiu ao jornal britânico.

 

Notícias ao Minuto

Loading...


 

Loading...
 

 

Cadastre seu e-mail e receba nossos boletins diários:

 

 

 

 

Leitores On Line