Mandetta diz que quarentena foi ‘precipitada’ e que proposta de Bolsonaro será estudada

Últimas notícias -

Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta

Um dia depois do pronunciamento polêmico de Jair Bolsonaro, em que ele defendeu que o país “volte à normalidade”, o ministro da Saúde baixou o tom, com o retorno de alguns serviços e que até igrejas possam funcionar, “mas sem aglomeração” (assista)O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, baixou o tom em relação à rigidez do isolamento social em coletiva de imprensa feita na tarde desta quarta-feira 25, um dia depois do pronunciamento de Jair Bolsonaro em rede nacional, no qual minimizou a gravidade da pandemia de coronavírus.

Mandetta disse que a proposta de Bolsonaro - de fazer o isolamento vertical, e não horizontal, ou seja, apenas do grupo de risco da Covid-19 - será considerada para estudo. Ele também fez críticas à quarentena adotada por decisão de alguns governadores.

“A gente tem que melhorar esse negócio de quarentena, ficou muito desarrumado, não ficou bom, foi muito precipitado. Ficou um negócio de ‘entramos e não sabemos como saímos’”, disse. “Vamos nos unir, tá tudo bem”, acrescentou, citando os governadores, que estão batendo de frente com o presidente em relação às medidas.

“O presidente fez um apelo e nós vamos, sim, olhar. Tem duas maneiras de se fazer quarentena. Isso tudo vai ser estudado”, completou Mandetta. 

Rumores davam conta de que o ministro da Saúde poderia ser demitido do governo, uma vez que o pronunciamento de Bolsonaro ia contra suas recomendações. Ele negou, mas indicou nesta coletiva uma mudança de rumo nas orientações.


Fonte: Com Agências