EUA renova acusações de comércio desleal contra China

<p>Os Estados Unidos acusaram a China de não modificar suas práticas comerciais “injustas”, acentuando a tensão entre ambos os gigantes econômicos antes de um encontro programado entre seus presidentes.</p><p>As novas acusações acontecem em um momento de maior pessimismo nos mercados sobre a possibilidade de que as duas maiores economias do mundo resolvam no curto prazo a sua disputa comercial.</p><p>O presidente americano, Donald Trump, e o chinês, Xi Jinping, discutirão sobre comércio na cúpula do G-20, que será realizada em Buenos Aires nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro.</p><p>Em uma atualização de um relatório emitido em março, o representante de Comércio americano (USTR), Robert Lighthizer, disse na terça-feira que a China não havia modificado suas práticas comerciais, criticadas por Washington e por outras grandes economias.</p><p>”Esta atualização mostra que a China não modificou suas práticas injustas, irracionais e que distorcem o mercado” que haviam sido analisadas no relatório de março, afirmou Lighthizer.</p><p>As autoridades americanas acusam a China de procurar o domínio global em indústrias de inovação em setores como robótica, ou energia renovável, por meios ilícitos.</p><p>Esses meios incluem, segundo os Estados Unidos, o roubo de propriedade intelectual, ao forçar as companhias norte-americanas a transferir tecnologias para operar no mercado chinês, assim como hackeamento e espionagem industrial, ou ainda pesados subsídios e dumping.</p><p>Pequim nega as acusações, mas Bruxelas e Tóquio se uniram a Washington para denunciar as práticas comerciais chinesas.</p><p>A China foi comedida em sua resposta às últimas acusações do governo de Trump.</p><p>”A cooperação econômica e comercial China-EUA é por natureza mutuamente benéfica”, disse nesta quarta-feira Geng Shuang, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, em entrevista coletiva.</p><p>”Os atritos econômicos e comerciais são normais. A chave é dialogar e consultar com base no respeito mútuo, na igualdade e na integridade”, acrescentou.</p><p> * AFP </p><!– contentFrom:cms –>
Fonte: Diário Catarinense