Evento celebra conclusão de programa de inovação para pequenos negócios em Florianópolis

Em todo o estado, estão sendo realizados alguns eventos de encerramento regionais do 4º ciclo do Programa Agentes Locais de Inovação (ALI) realizado pelo Sebrae/SC. E na noite da última quarta-feira (11), foi o encerramento do programa ALI com mais de 240 pequenas empresas da Grande Florianópolis. Foram 30 meses de trabalho em que agentes selecionados e capacitados aplicaram, nessas empresas, uma metodologia de inovação, envolvendo processos de gestão, marketing, produção entre outras estratégias com o objetivo de aumentar a sua força de mercado. O evento foi realizado na sede do Sebrae/SC, em Florianópolis, e contou com a presença de cerca de 40 empresários participantes do projeto, além de uma palestra com o consultor do Sebrae/SC, Luciano Pinheiro, que abordou o tema “Tempo de Inovar”.

Luciano reforçou a importância da inovação dentro de uma empresa e lembrou que realizá-la faz parte de um processo contínuo. “A inovação existe desde sempre. A todo o momento surgem coisas novas com a tecnologia ou tem alguém inventando alguma coisa. Então, as empresas devem ficar atentar às mudanças e colocar a inovação como uma de suas atividades principais para que seu negócio esteja sempre em ascensão”, explica.

Durante o quarto ciclo do Projeto, que iniciou em novembro de 2015 e encerra neste mês de abril, foram cerca de 1700 pequenos negócios dos setores de indústria, comércio e serviços que receberam essas consultorias com a implantação de aproximadamente 15 ações em cada empresa. Segundo Luciana Oda, a analista técnica do Sebrae/SC e coordenadora estadual do projeto, essas empresas tiveram a oportunidade de mudar suas estratégias de negócio com auxílio de um Agente Local de Inovação.

“O que pretendemos com o ALI é levar a cultura da inovação para uma empresa. Para isso foram utilizadas ferramentas como o diagnóstico de gestão e o radar da inovação. Essas duas ferramentas dão embasamento pra que o ALI, junto com os empresários, realizem um planejamento e verifique onde desenvolver uma ação inovadora. E essas ações, quando implementadas, dão os resultados esperados assim como aconteceu com os participantes do projeto que tiveram aumento no faturamento, nas vendas, nos seus relacionamentos internos, na forma de comunicar e realizar estratégias, etc”, conta.

O Programa ALI ocorre desde 2008 em todo o Brasil e já atendeu mais de 50 mil pequenos negócios só no ano de 2017. Em Santa Catarina, um novo ciclo inicia com novidades no segundo semestre de 2018. “Para o próximo ciclo, traremos o mesmo embasamento do programa, mas com nova metodologia e ferramentas inovadoras”, acrescenta Luciana.

Cases

Durante o evento, quatro empresários, de Florianópolis, participantes do programa falaram da experiência com o ALI nesses dois anos e meio de trabalho. Para Flora Lorena, empresária da Colours Clube, a presença do ALI deu uma nova forma de enxergar a empresa. “Quando recebemos a proposta do programa, estávamos justamente num momento de transição, precisando de mudança. E o que precisávamos era de uma visão de fora para nos auxiliar, nos cobrando e fazendo com que os processos aconteçam”, diz.

Para Giovanni Bello, do pet shop Bicho da Casa, o programa ajudou a melhorar o andamento da empresa. “Com o ALI pudemos analisar a empresa e suas necessidades maiores e a partir disso começar a executar ações. O ALI veio com propostas e cumprimos diversas atividades dentro do negócio. Além disso, é um programa provocativo, que te cobra a agir e executar de fato o que precisa ser inovado, pois além de tudo exigiam resultados”, conta.

Amarildo Segala, proprietário da Ratones Agroveterinária, conta que a mudança dentro da empresa após o ALI foi enorme e gratificante. “A presença do ALI valorizou a gente como empresário. Mudamos até a nossa forma de enxergar os funcionários. Realizamos diversas atividades, como gincanas para promover a interação da equipe além de ações externas com clientes. O programa nos ajudou a amadurecer essa proposta de uma empresa que sempre pensa a frente. Agora é só colocar em prática tudo o que aprendemos”, ressalta.

Proprietária da Ótica Focco, Heloísa Helena contou que a empresa já estava em um processo de inovação e que o ALI chegou para enriquecer e reforçar o trabalho. “Sou uma pessoa inquieta que sempre busca por inovação. Já estávamos nesse processo e o ALI nos ajudou a gerir as coisas de forma enriquecedora. A medir o que precisa ser feito e depois colocar tudo em prática, despertando sempre um compromisso”, finaliza.

 


Fonte: Floripa News