Exportações de carnes em Santa Catarina crescem 36,9%, em novembro

Exportações de carnes em Santa Catarina crescem 36,9%, em novembro
<p>A exportação de carnes em Santa Catarina cresceu 36,%, em novembro deste ano, quando comparada ao mesmo período de 2017. Os dados são da Epagri e do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e foram divulgados na quinta-feira (6). Ao todo, foram escoadas 124,7 mil toneladas de carnes catarinenses para fora do Brasil.</p><p>De acordo com a Epagri, os principais mercados que receberam produtos catarinenses no mês foram a China, Hong Kong e Japão. Já o produto mais comercializado foi a carne de frango, seguida da carne suína.</p><p>Só a carne de frango correspondeu a 96,2 mil toneladas de tudo o que foi exportado em novembro. Em apenas um mês, essa quantidade gerou US$ 161,8 milhões para os produtores catarinenses, uma alta de 14,1%, em relação ao mesmo período de 2017. A exportação da carne de frango, em novembro, foi realizada principalmente para o Japão, Arábia Saudita e China.</p><p>Enquanto isso, a indústria da suinocultura em Santa Catarina enviou outras 32,1 mil toneladas de carne de porco para fora do país. As exportações desse tipo de proteína geraram faturamento de US$ 58,2 milhões ao setor. </p><p>Atualmente, o Estado é responsável, sozinho, por 51% de todas as exportações de carne suína do Brasil. Os principais mercados da suinocultura catarinense são China, Chile e Hong Kong. Em novembro, todos os países que recebem a carne de porco produzida em Santa Catarina fizeram compras maiores, quando comparado ao mesmo período de 2017. </p><h3>Mais carne, menos lucro</h3><p>Com resultados positivos em todos os meses do ano, até agora, a tendência é de que o volume de exportações de carnes em 2018 seja maior que no ano anterior. Entre janeiro e novembro, foram embarcadas 1,29 milhão de toneladas de carne de frango e de porco.</p><p>Quase a totalidade desse volume se refere à proteína de frango. Ao todo, foram encaminhadas 966,9 mil toneladas de carne das aves, neste ano. Esse número é  7,8% maior que o anotado no mesmo período de 2017. </p><p>Entretanto, os lucros da avicultura caíram 2,9% com as exportações. O principal motivo apontado pela Epagri é que houve queda nas exportações para o Japão, que é o grande mercado consumidor de proteína de frango catarinense. Entre janeiro e novembro, o setor teve faturamento de US$ 1,6 bilhão, com o envio de carne para fora do Brasil.</p><p>Já na suinocultura o cenário é diferente, de acordo com a Epagri. A China, que é o principal comprador da carne de porco produzida no Estado, aumentou as importações do produto em 188,5%, neste ano. Das 297 mil toneladas exportadas, o maior país asiático comprou, sozinho, 104,8 mil toneladas.</p><p>Conforme os dados da Epagri, a receita total da exportação de carne suína já chega a US$ 554,2 milhões. Desse total, 36,2% são referentes às vendas para os chineses.</p><h3>Perspectivas para 2019</h3><p>No próximo ano, a Epagri prevê uma melhora geral do panorama observado em 2019. O principal motivo é o fim do embargo da Rússia à compra de carnes produzidas em Santa Catarina. O órgão projeta que isso pode aumentar ainda mais as exportações das carnes produzidas no Estado. A entidade também acredita que os chineses podem seguir ampliando a compra de produtos catarinenses.</p><p>Outro ponto positivo que é apontado pela Epagri é que Santa Catarina possui o selo de local livre da febre aftosa sem vacinação. Com isso, o Estado consegue também atuar no chamado “mercado premium”, que inclui exportações para países da Europa e para os Estados Unidos.</p><p><strong>Leia mais:</strong></p><p> <strong>Exportação de arroz catarinense gera lucro de US$ 24 milhões, em oito meses</strong> </p><p> <strong>Praga que atinge plantações de palmito e banana é encontrada em Santa Catarina</strong> </p><p> <strong>Safra de milho deve crescer 10% em Santa Catarina, prevê Epagri</strong> </p><p><br></p><!– contentFrom:cms –>
Fonte: Diário Catarinense