Acusados de forjar provas da morte de açougueiro, três policiais do Bope são presos 

Acusados de forjar provas da morte de açougueiro, três policiais do Bope são presos 
<p>Três policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) de <strong>Florianópolis </strong> foram presos no fim da tarde de quinta-feira. Eles são acusados de forjar as provas da <strong>morte de José Manoel Pereira, de 44 anos, que veio a óbito em 18 de novembro de 2017</strong> após disparo dos agentes policiais em Balneário Piçarras, no Litoral Norte do Estado. Os agentes estão no batalhão da PM na Capital.</p><p>Conforme a sentença, o carro em que estavam José Manoel Pereira e outras pessoas foi confundido com um veículo de assaltantes de banco. Ao invés de realizar a ordem de parada do carro, os policiais atiraram contra os passageiros em uma das principais avenidas do município. Um dos disparos atingiu a nuca de José Manoel Pereira, que morreu dois dias depois no hospital.</p><p>A decisão diz ainda que houve uma sucessão de erros administrativos e criminais praticados pelos acusados. A investigação aponta que os policiais tiveram acesso e apagaram as imagens de uma empresa de videomonitoramento privado, a qual mostrava o momento exato do crime. </p><p>O comando da PM disse que a corporação foi comunicada da ordem de prisão no final da tarde de quinta-feira, realizando cumprimento imediato da sentença. Além disso, comunicou que a instituição não tem como se manifestar sobre os fundamentos da medida nem sobre o mérito do processo pois estão na esfera do Judiciário.</p><p><strong>José comemorava o feriado com os familiares</strong></p><p>Conforme relato do sobrinho de José Manoel Pereira na época, naquela noite eles aproveitaram o feriado de Proclamação da República para fazer um churrasco em casa. Por volta das 2h30, foram até a conveniências de um posto de gasolina para comprar mais cerveja. Somente o sobrinho de José saiu do carro e estava sendo atendido quando ouviu o barulho de tiros. Com receio da ação, ele retornou ao carro e o grupo saiu rapidamente do local.</p><p>O homem contou na época que os policiais começaram a atirar na direção dos ocupantes do veículo — o primeiro tiro atingiu a cabeça de José. Outros dois homens também foram atingidos durante o tiroteio, mas não tiveram ferimentos mais graves. De acordo com o familiar, José não tinha nenhum envolvimento com a quadrilha de assaltantes, eles foram vítimas porque estavam <strong>’no lugar errado, na hora errada'</strong> .</p><p>Após ser acertado, José Manoel Pereira foi encaminhado para o Hospital Marieta Konder Bornhausen, em Itajaí. Segundo o sobrinho da vítima afirmou na época, o tio permaneceu internado em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) durante quase dois dias.</p><p> * Com informações na NSC TV </p><p><strong>Leia Mais</strong></p><p> <strong>Florianópolis é a capital com maior alta da taxa de homicídios</strong> </p><p> <strong>Aplicativo de transporte para mulheres chega na Capital em setembro</strong> </p><p> <strong>Mulher de 60 anos é morta a facadas em Capinzal</strong> </p><!– contentFrom:cms –>
Fonte: Diário Catarinense.