Deputados austríacos proíbem véu islâmico nas escolas primárias

<p>Os deputados da Áustria aprovaram nesta quarta-feira uma lei que proíbe o uso do véu islâmico nas escolas primárias, uma medida proposta pela coalizão governamental de direita e extrema-direita.</p><p>Para evitar acusações de discriminação contra os muçulmanos, o texto faz referência a “qualquer vestimenta de influência ideológica ou religiosa que cubra a cabeça”.</p><p>Apesar disso, as duas correntes da coalizão governamental, os conservadores (OVP), do chanceler Sebastian Kurz, e a extrema-direita (FPO) indicaram claramente que a lei visava o véu islâmico.</p><p>O porta-voz do FPO para Educação, Wendelin Moelzer, explicou que a lei é “um sinal contra o Islã político”, enquanto o deputado do OVP Rudolf Taschner garantiu que o texto é necessário para proteger as meninas da “submissão”.</p><p>O governo deixou claro que essa norma não se aplica ao quipá, a boina usada pelos homens judeus.</p><p>A organização de muçulmanos austríacos IGGO já havia classificado a proposta de “vergonhosa” e de “tática de distração”, e garantiu que em qualquer caso afetaria a um número ínfimo de alunos.</p><p>Quase todos os deputados da oposição votaram contra, e alguns acusam o governo de preferir gerar polêmicas do que se preocupar com o bem-estar das crianças.</p><p> * AFP </p><!– contentFrom:cms –>
Fonte: Diário Catarinense.