Deputados se concentram nos destaques que alteram PEC da Previdência; Maia quer concluir até sábado

A Câmara dos Deputados retomou a análise do texto da reforma da Previdência.

 

Nesta quinta, os parlamentares analisam os chamados destaques, que são propostas de mudanças no texto principal.

 

Houve atraso para o início da sessão porque os líderes ainda ajustavam com cada uma das bancadas qual destaque a legenda vai apoiar. Lembrando que, nessa quarta, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, suspendeu de uma hora pra outra a sessão após notar que havia uma desorganização e os deputados estavam confusos em como votar em cada destaque.

 

Há acordo com o governo e líderes do partido do centro para aprovação de duas alterações, a que traz uma regra mais amena para agentes de segurança e outra que melhora o cálculo para aposentadoria das mulheres. Mas partidos de oposição também articulam colocar no bolo regras especiais para professores.

 

Rodrigo Maia, disse que, apesar de a emenda ter sido rejeita nessa quarta, outra proposta que está na mesa poderia recuperar os recursos perdidos com o destaque dos professores. A líder do governo no Congresso, Joice Hasselman, lembrou que o governo vai trabalhar apenas para aprovar os destaques referentes ao cálculo do benefício das mulheres e aos policiais.

 

A oposição promete também conquistar votos para manter a pensão por morte com 100% do benefício. O PDT anunciou que vai abrir um processo na comissão de ética da legenda para punir os deputados que votaram a favor da PEC da Previdência, já que o partido havia fechado questão contra o texto.

 

Já o PSB informou que marcou reunião do conselho de ética da legenda para semana que vem para discutir sobre deputados dissidentes. E o presidente da Câmara avisou que quer terminar logo a votação dos destaques para votar a proposta em segundo turno até sábado e concluir a tramitação da reforma na Câmara.

Fonte: Rádio Nacional