Florianópolis conta com 34 novos profissionais da saúde no combate ao novo coronavírus

Prefeito anunciou que a capital catarinense se prepara para voltar à normalidade

Prefeito e Secretário de Saúde de Florianópolis em transmissão ao vivo
Prefeito e Secretário de Saúde de Florianópolis em transmissão ao vivo(Foto: Leonardo Sousa/PMF)

Foram convocados 34 novos profissionais da saúde para trabalhar no combate ao novo coronavírus em Florianópolis, através de contratos emergenciais. A informação foi confirmada pelo prefeito Gean Loureiro, em transmissão ao vivo na tarde desta terça-feira (24). São 20 pacientes confirmados na Capital catarinense e 109 em todo o estado.

Segundo o prefeito, todos os servidores escolheram as vagas e assumem o posto imediatamente. Ou seja, alguns iniciam já na quarta-feira (25), enquanto outros devem demorar uns dias a mais para atuar, até que organizem a mudança para Florianópolis – alguns concursados residem em outras cidades.

Ainda foi reforçado pelo prefeito, que a prefeitura busca adquirir um número mais alto de kits para testes do Covid-19, num trabalho conjunto com os demais prefeitos da região, com o intuito de que, gradativamente, 90% ou mais dos cidadãos possam ser liberados para voltar à atividade econômica:

– Para a gente voltar à normalidade, é preciso fazer testes, testes e testes.

Para os mais vulneráveis

Ainda, segundo Loureiro, um hotel do Centro da cidade foi ofertado para a prefeitura gratuitamente, para que as pessoas em situação de rua e com sintomas do Covid-19 sejam alojados e passem pelo tratamento adequado. Os demais, que não apresentam sintomas, estão nos alojamentos do município:

– Quando uma pessoa está com suspeita de coronavírus, ela precisa ficar em isolamento dentro de casa, mas eles não têm casa, por isso encontramos um lugar. Os serviços de alimentação, higiene e limpeza serão pagos pela prefeitura.

Também continuam sendo feitas tratativas para o estabelecimento do Cartão-Alimentação, a fim de que os mais necessitados tenham condições de receber um valor de R$ 100, o que possibilita a compra de duas cestas básicas e meia por mês.

Para tanto, a Prefeitura vai disponibilizar R$ 200 mil por mês, e assim atender duas mil famílias de autônomos como faxineiras que neste período não estão podendo trabalhar, com renda de até três salários mínimos. Mas, através do Fundo da Defesa Civil, voltado aos casos de calamidade ou de pessoas em busca de ajuda, espera poder contar com doações para que mais seis mil famílias possam ser atendidas.

– Para dar condições a um número maior de famílias que precisam do básico. A Prefeitura não está pedindo dinheiro”, deixou claro o prefeito. Afinal, segundo ele, para isso, seriam necessários mais R$ 600 mil por mês.

Distração para as crianças

Durante a coletiva, Loureiro também sugeriu às famílias com crianças, que acessem o portal educacional do município, onde é possível encontrar atividades pedagógicas que incluem diferentes idades e disciplinas. Segundo prefeito, já são nove mil acessos na página.

Economia

Quanto à área econômica, o prefeito anunciou a implementação futura do Programa Juro Zero Especial, numa parceria entre o Banco do Empreendedor e a Secretaria da Fazenda. Voltado aos microempreendedores individuais e às microempresas, o programa deve ampliar carências, entre outras ações que são estudadas diariamente.