Menu

Irã solta libanês acusado de espionagem

0 Comments

<p>A Justiça iraniana libertou, nesta terça-feira (11), Nizar Zakka, um libanês condenado em 2016 a dez anos de prisão por “espionagem” a favor dos Estados Unidos.</p><p>Residente nos EUA, Zakka foi recebido pelo presidente libanês, Michel Aun, ao chegar em Beirute, onde negou as acusações.</p><p>”Não houve espionagem”, declarou aos jornalistas no Palácio Presidencial.</p><p>Zakka chegou a Beirute em um avião privado, acompanhado do chefe da segurança geral libanesa, Abbas Ibrahim, que foi buscá-lo em Teerã.</p><p>O departamento americano de Estado saudou a libertação de Zakka e disse esperar que seja “um sinal positivo para os americanos detidos no Irã”.</p><p>A agência oficial iraniana Mizan On-line informou que um tribunal do Irã “aprovou a libertação condicional” de Zakka com base na lei que beneficia os condenados a até dez anos de prisão e de bom comportamento que já cumpriram ao menos um terço da pena.</p><p>O porta-voz da Justiça, Gholamhossein Esmaili, informou que o presidente libanês pediu “por escrito” que se facilitasse a soltura de Zakka. O movimento xiita libanês Hezbollah, próximo ao Irã, considerou a decisão “oportuna”.</p><p>Residente nos Estados Unidos, Zakka foi detido em setembro de 2015 durante uma viagem ao Irã e condenado em julho de 2016.</p><p>Ao ser detido, a televisão oficial iraniana se referiu a acusações sobre “profundas relações (de Zakka) com as comunidades militar e de Inteligência dos Estados Unidos”.</p><p> * AFP </p><!– contentFrom:cms –>
Fonte: Diário Catarinense