Juíza põe vereadora de Santo André em prisão preventiva

<p>A juíza Ana Lúcia Iucker Meirelles de Oliveira, da 3ª Vara Federal de São Bernardo do Campo (SP), decretou a prisão preventiva da vereadora Elian Santana (SD), da Câmara de Santo André, na Grande São Paulo, e de outros dois investigados na Operação Barbour. Todos são investigados pelo suposto rombo de R$ 170 milhões nos cofres da Previdência por meio de um esquema de aposentadorias fraudulentas.</p><p>Ficarão presos por tempo indeterminado um suposto intermediário do esquema, Adair Saar, e também Vitor Mendonça de Souza, servidor da Agência do INSS de Diadema – em sua residência, no dia da deflagração da Barbour, 26 de novembro, os federais apreenderam R$ 42 mil e US$ 3 mil em dinheiro vivo.</p><p>A magistrada soltou a chefe de gabinete da vereadora Lucilene Aparecida Ferreira Souza, mas impôs a ela medida cautelares. Na semana passada, a juíza havia prorrogado a prisão temporária. Segundo a investigação, o grupo “vendia” as aposentadorias no gabinete da própria vereadora.</p><p>Barbour, nome dado à operação, segundo a Polícia Federal, remete a um cientista que desenvolveu uma tese de que o tempo, na realidade, não existe.</p><p>A PF afirmou, no inquérito, que os pedidos de aposentadoria eram “aprovados” em apenas quatro minutos “sem que houvesse qualquer tipo, aparentemente, de avaliação dos documentos apresentados”.</p><p>”Não restam dúvidas que Elian Santana utiliza seu gabinete e assessores para fins ilícitos, donde aufere, no mínimo, indevida vantagem política nesses expedientes espúrios”, sustenta a PF.</p><p><strong>Defesa</strong></p><p>A reportagem está tentando contato com os citados. O espaço está aberto para as manifestações.</p><!– contentFrom:cms –>
Fonte: Diário Catarinense