<p>Com a desistência do secretário britânico da Saúde, Matt Hancock, caiu para seis o número de candidatos na disputa para substituir Theresa May, lugar vago desde que a então primeira-ministra deixou a liderança do Partido Conservador.</p><p>Contrário a um Brexit sem acordo, este político de 40 anos abandonou a disputa nesta sexta-feira (14), alegando não estar em condições de ganhar, após o primeiro turno das eleições realizado ontem.</p><p>O ex-ministro das Relações Exteriores Boris Johnson liderou a votação secreta dos deputados conservadores com uma esmagadora maioria. Obteve 114 dos 313 votos.</p><p>Boris defende que o Reino Unido deve deixar a União Europeia (UE) em 31 de outubro “com, ou sem, acordo”.</p><p>Dos sete que passaram para o segundo turno a ser disputado na próxima terça-feira, Hancock ficou em um distante sexto lugar. Na semana que vem, devem ser eliminados todos os candidatos com menos de 33 votos.</p><p>A operação voltará a se repetir na quarta e na quinta-feiras, até que restem apenas dois nomes. Ambos serão, então, submetidos à votação dos 160.000 membros do partido entre meados e final de julho.</p><p>Se Johnson não perder votos na semana que vem, já terá garantido sua vaga entre os dois finalistas.</p><p>Ele recebeu duras críticas de outros candidatos por ser o único a não participar de um debate que será transmitido pelo canal privado Channel 4 neste domingo.</p><p>O ex-ministro anunciou, porém, que estará no debate de terça, promovido pela emissora pública BBC.</p><p> * AFP </p><!– contentFrom:cms –>
Fonte: Diário Catarinense