<p>O ataque à mesquita neozelandesa de Christchurch, em que um supremacista branco matou 51 pessoas em março, será levado ao cinema, anunciou nesta quarta-feira seu produtor na revista Variety, à margem do Festival de Cinema de Cannes.</p><p>”Hello brother” contará a história de uma família de refugiados que foge do Afeganistão para encontrar refúgio na Nova Zelândia, onde é vítima do massacre.</p><p>”Em 15 de março, em Christchurch, o mundo inteiro testemunhou um crime contra a humanidade”, disse o produtor egípcio Moez Masud à Variety.</p><p>”Hello brother” é “apenas uma etapa do processo de cura para que um dia possamos nos entender melhor e entender as causas profundas do ódio, do racismo, do supremacismo e do terrorismo”, disse ele.</p><p>O título do filme é baseado no que disse um idoso afegão ao terrorista quando o recebeu na mesquita de Noor, antes de ser abatido.</p><p>Por sua vez, a Associação Muçulmana de Canterbury, a região de Christchurch, pediu no Facebook respeito à dignidade e privacidade da comunidade, em reação ao filme.</p><p>Masud também é produtor de “Clash”, sobre a queda do presidente egípcio islamita Mohamed Mursi em 2013.</p><p> * AFP </p><!– contentFrom:cms –>
Fonte: Diário Catarinense