Acusada de pôr agulhas em morangos na Austrália pode pegar 10 anos de prisão

Acusada de pôr agulhas em morangos na Austrália pode pegar 10 anos de prisão

GERAL -   

Sydney (Austrália), 12 nov (EFE).- A mulher suspeita de colocar agulhas de costura em morangos que foram comercializados na Austrália pode pegar uma pena máxima de dez anos de prisão, informou hoje a Polícia local após anunciar as acusações contra a detida.

My Ut Trinth, de 50 anos, foi indiciada por sete acusações por "contaminação de produtos, com a circunstância de agravamento", disse em entrevista coletiva Jon Wacker, chefe da divisão de Narcóticos e Crimes Graves da Polícia de Queensland, no nordeste do país.

A mulher, uma ex-funcionária do setor dos morangos detida neste domingo, prestou depoimento no tribunal de Brisbane, que lhe negou a liberdade condicional até a próxima audiência no final do mês.

Segundo Wacker, na Austrália foram denunciados 320 casos de sabotagem que afetaram 68 marcas, 49 delas do estado de Queensland.

"Neste assunto, no qual o principal contaminante foram as agulhas, vimos 186 incidentes em todo o país. Destes 77 foram em Queensland e 15 pareceram ser brincadeiras ou queixas falsas", explicou.

A sabotagem de morangos obrigou a retirada de milhares de cestinhas desta fruta dos supermercados da Austrália e os agricultores a desprezar várias toneladas dos seus cultivos.

Na Nova Zelândia também foram detectados alguns casos isolados e as autoridades do país pararam temporariamente a venda dos morangos australianos.