Conselho de Ética arquiva processo contra petistas que pediram habeas corpus em favor de Lula

Conselho de Ética arquiva processo contra petistas que pediram habeas corpus em favor de Lula

GERAL -   


Por unanimidade, o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados decidiu arquivar a representação do PSL contra os deputados petistas Paulo Pimenta (RS), Paulo Teixeira (SP) e Wadih Damous (RJ).

Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Reunião ordinária
Deputados reclamaram da falta de propósito do processo

Os parlamentares foram acusados pelo PSL de terem agido de má-fé ao apresentar, durante plantão judiciário, em julho deste ano, pedido de habeas corpus para tentar libertar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba em razão da Operação Lava Jato. O habeas corpus foi inicialmente concedido, mas cassado posteriormente.

O arquivamento foi proposto no relatório do deputado Kaio Maniçoba (SD-PE). Ele considerou a representação do PSL falha por não especificar que tipo de agressão à ética teria ocorrido na ação dos parlamentares.

"Não achamos nenhum fato importante que ensejasse a cassação dos deputados. Foi até dito por alguns colegas o fato de ser desnecessário, no momento, esse tipo de representação... Mas, com bom senso, com diálogo e conversando com os pares tivemos uma maioria esmagadora para o arquivamento desse processo", disse.

O deputado Sandro Alex (PSD-PR), criticou a perda de tempo com a análise da representação.

"Realmente, é um processo ridículo. Foi gerado, na minha opinião, por uma questão política, de um partido contra o outro. Não tem cabimento esse processo. E nós estamos perdendo tempo aqui, deixando de avaliar processos que a população realmente acompanha no Conselho de Ética", reclamou.

Ouça esta matéria na Rádio Câmara

Nenhum representante do partido que fez a denúncia nem os deputados acusados compareceram à reunião.