Navio humanitário 'Aquarius' anuncia fim de trabalho de salvamento

<p>Médicos Sem Fronteiras e SOS Mediterrâneo anunciaram nesta quinta-feira o fim das operações de salvamento do navio humanitário “Aquarius”, convertido em símbolo da crise política sobre a acolhida de imigrantes.</p><p>”Renunciar ao Aquarius foi uma decisão extremamente difícil de se tomar”, declarou em um comunicado Frédéric Penard, diretor de operações da SOS Mediterrâneo, lamentando “os ataques incessantes contra o navio e seus tripulantes”.</p><p>A ONG com sede em Marselha “estuda as opções para um novo barco e uma nova bandeira”.</p><p>”Nos negamos a ficar com os braços cruzados na costa enquanto as pessoas continuam morrendo no mar”, declarou Penard.</p><p>Nelke Mander, diretora-geral do Médicos Sem Fronteiras (MSF), também lamentou o fim das operações, que “significam mais mortes no mar”.</p><p>O “Aquarius”, que realizava resgates diante da costa da Líbia desde 2016, atracou em Marselha no início de outubro a espera de uma bandeira que lhe permita navegar, após ter perdido os registros de Gibraltar e Panamá.</p><p>No final de novembro, a justiça italiana solicitou o embargo do navio por tratamento ilegal de resíduos.</p><p>Durante suas operações o “Aquarius” socorreu cerca de 30 mil pessoas.</p><p>O navio se tornou um símbolo da crise diplomática envolvendo os migrantes em junho, após permanecer sem destino durante uma semana no Mediterrâneo com 630 refugiados a bordo, diante da rejeição de Itália e Malta de permitir sua entrada.</p><p>Finalmente, a Espanha abriu seus portos ao “Aquarius”, diante da promessa de vários países europeus de receber parte dos refugiados.</p><p> * AFP </p><!– contentFrom:cms –>
Fonte: Diário Catarinense